GNR de Portalegre deteve 102 pessoas desde Novembro por furto de azeitona

Preço da azeitona subiu muito nesta campanha
Foto
Preço da azeitona subiu muito nesta campanha António Carrapato

Um total de 102 pessoas foi detido por apanha ilegal de azeitona no distrito de Portalegre, no âmbito da operação Colheita de Azeitona 2012, que terminou esta terça-feira, disse à Lusa fonte da GNR.

No último dia da operação, foram detidas três pessoas na zona de Elvas, tendo os militares apreendido 250 quilos daquele produto, elevando para mais de 18 toneladas de azeitona a quantidade total apreendida durante toda a iniciativa. De acordo com a fonte da GNR, os detidos, dois homens e uma mulher, com idades entre os 30 e os 35 anos, foram surpreendidos pelos militares da GNR em flagrante delito. O processo passou a inquérito e os suspeitos vão aguardar julgamento em liberdade, sujeitos a termo de identidade e residência.

Em declarações à agência Lusa, o capitão João Janeiro, do Comando Territorial de Portalegre da GNR, fez um balanço “positivo” desta operação, realçando que o “elevado” número de detenções se deveu, acima de tudo, ao facto de os lesados terem apresentado queixa às autoridades. “Nós fazemos um balanço positivo desta operação, pois, graças às pessoas que apresentaram queixa, a GNR actuou de forma rápida e eficaz”, disse. O oficial da GNR voltou a recordar que, na actual campanha, a azeitona “aumentou muito de preço” e que esse factor tornou “mais apetecível e rentável” o roubo desse produto.

Desde o dia 5 de Novembro do ano passado, data em que arrancou a operação Colheita de Azeitona 2012, a GNR efectuou “102 detenções em flagrante delito”. Ainda relacionadas com o furto de azeitona, outras 12 pessoas foram identificadas e constituídas arguidas. De acordo com o oficial da GNR, os homens são a maioria dos detidos, com idades que variam entre os 19 e os 56 anos. A maior parte dos detidos, mais precisamente 94 pessoas, tem nacionalidade portuguesa, acrescentou, referindo que os suspeitos residem sobretudo nos concelhos de Elvas, Campo Maior, Monforte e Avis.

Desde Novembro, a GNR registou 21 furtos de azeitona no distrito, tendo o maior número deles ocorrido nos concelhos de Elvas, Campo Maior e Ponte de Sor. O capitão João Janeiro acrescentou que “não é possível” quantificar, neste momento, o valor dos danos provocados por estes roubos. “Uma oliveira que é destruída, no próximo ano não produz, além de que o prejuízo é mais avultado nas que são partidas e naquelas que têm rega e que são também destruídas. Por isso, só lá para o mês de Maio é que vai ser possível quantificar os danos”, declarou.