Martin Schulz defende que Portugal está no caminho certo

"Não posso prometer nada, mas é nossa obrigação fazer com que a vossa vida melhore”, disse o presidente do Parlamento Europeu, em Lisboa, a manifestantes que estavam em frente à Assembleia da República.

Foto
Daniel Rocha

O presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, defendeu nesta sexta-feira, numa visita oficial a Portugal, que o país “está no caminho certo”, mas que na Europa os países mais ricos têm de dar maiores contributos para a resolução da crise económica.

O social-democrata alemão, que visitou o Parlamento português de manhã, num encontro com a presidente da Assembleia, Assunção Esteves, e mais tarde com Pedro Passos Coelho, na residencial oficial do primeiro-ministro, em Lisboa, deixou uma mensagem de “solidariedade” da União Europeia para Portugal.

Martin Schulz considerou que “Portugal se encontra no bom caminho depois dos sacrifícios imensos que o país tem feito” e acrescentou que a prova desse facto é que os seus “colegas da União Europeia” estão “muito impressionados”. Numa conferência de imprensa conjunta com Passos Coelho, o presidente do Parlamento Europeu elogiou o Governo português, “que não se esconde atrás das instituições europeias”, mas dá a cara pelas reformas que tem apresentado. Schulz sublinhou algumas “divergências” com o primeiro-ministro português, mas não concretizou quais, e disse ainda que há um “grande consenso” relativamente ao Orçamento da União Europeia.

“Penso que Portugal está no caminho certo. Para resolver a crise, os ricos têm de pagar mais do que os pobres, os fortes têm de fazer mais do que os fracos. Na Europa, os países mais ricos têm de pagar mais do que os pobres. Esse é o caminho para resolver a crise”, disse um pouco antes Martin Schulz num breve contacto com feirantes que se manifestavam frente ao Parlamento.

Schulz, que ouviu atentamente as queixas de Luís Paulo Fernandes, representante da Associação Portuguesa de Empresas de Diversão (APED), nomeadamente em relação aos 23% de taxa do IVA, disse depois: “Não posso prometer que a vossa vida vá melhorar já amanhã, não posso prometer que os vossos problemas sejam resolvidos já amanhã. Eu sei quão dura é a vossa vida. Nem sempre fui presidente do Parlamento Europeu. Fui um pequeno comerciante, tive uma pequena livraria.”

Martin Schulz tem encontro agendado esta sexta-feira, pelas 15h30, com o Presidente da República, Cavaco Silva. Mais tarde, encontra-se com o escritor António Lobo Antunes, numa conversa que será fechada à comunicação social. Depois visita a Associação CAIS e de seguida conversa com estudantes no gabinete do Parlamento Europeu, em Lisboa.