Câmara do Porto e APEL sem acordo para fazer a Feira do Livro de 2013

As duas entidades ainda estão em negociações sobre o apoio financeiro da autarquia.

A edição de 2013 da Feira do Livro do Porto, na Avenida dos Aliados, ainda não está garantida. O protocolo entre a Câmara do Porto e a APEL - Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, que regeu a realização do certame desde 2009, chegou ao fim e o município não estará disponível para prestar o apoio financeiro contratualizado até 2012, e que podia chegar aos 75 mil euros anuais. As duas entidades continuam as negociações.

Num email enviado aos associados, no final da semana passada, a APEL informava: "Ao contrário do que nos tinha sido dado a entender, a Câmara Municipal comunicou-nos a impossibilidade de manter em 2013 o apoio à Feira do Livro, para além da cessão do espaço da Avenida dos Aliados e algumas isenções camarárias." O documento, assinado pelo secretário-geral da APEL, Miguel Freitas da Costa, indicava ainda que, nas condições actuais, a feira no Porto só se realizaria "se os participantes estivessem dispostos a suportar um aumento muito significativo dos respectivos encargos".

O presidente da APEL, João Alvim, confirma ao PÚBLICO que "de momento, não se verifica a possibilidade" de realizar a feira nos mesmos moldes dos últimos anos, apesar de, salienta, "toda a gente ter a intenção de levar a feira para a frente". "Tem é de se encontrar outras soluções", afirma.

O protocolo que vigorou entre 2009 e 2012 e que permitiu que a feira regressasse à Avenida dos Aliados estabelecia que a câmara apoiaria o evento com uma comparticipação financeira de 300 mil euros, durante quatro anos. É a ausência deste apoio monetário que está a lançar dúvidas sobre as condições em que a feira se realizará este ano. A Câmara do Porto não quis pronunciar-se sobre o tema, remetendo os esclarecimentos para a APEL.

Em Lisboa, não há qualquer problema associado à edição da Feira do Livro deste ano, que deverá decorrer entre 23 de Maio e 10 de Junho.