CEJ Facebook
Foto
CEJ Facebook

Braga 2012 foi uma "festa de garagem gerida por meninos mimados"

“Num ano de fortes restrições financeiras, em termos globais, foi um evento com um grande sucesso”, anotou Mesquita Machado

O líder da oposição na Câmara Municipal de Braga descreveu a Capital Europeia da Juventude (CEJ) Braga 2012 como uma “festa de garagem”, feita por “meninos mimados” da Juventude Socialista, e considerou que o evento foi um “fracasso”.

Na habitual conferência de imprensa após a reunião camarária, Ricardo Rio, líder da coligação Juntos por Braga, ressalvou apenas o trabalho das associações juvenis, que disse terem “assumido as rédeas” do projecto e “dissimulado” o “falhanço” do evento e que ainda assim 2012 foi “melhor” do que 2011 no que toca a políticas para a juventude.

Em resposta, o presidente da Câmara Municipal de Braga, o socialista Mesquita Machado, disse que a CEJ foi um “grande sucesso” e que há sempre “carpideiras político-partidárias”. Segundo Rio, “o verdadeiro balanço de Braga 2012 só poderá ser feito daqui a um ano” quando se conhecerem dados sobre o impacto do evento, mas considerou, “foi um ano que ficou aquém das expectativas”.

O líder da oposição a Mesquita Machado afirmou mesmo que se as expectativas fossem que a CEJ se resumisse a “um grupo de amigos que resolve fazer umas festas de garagem e umas coisas divertidas” o balanço teria sido positivo. Ricardo Rio apontou ainda críticas à estrutura que liderou a CEJ, através da Fundação Bracara Augusta. “A Juventude Socialista tomou de assalto a organização da CEJ e não estava preparada”, afirmou, tendo o evento resultado numa “amálgama de eventos sem fio estratégico".

Assim, Rio admitiu que Braga 2012 foi “uma festa de garagem gerida por meninos mimados”, referindo-se à organização.

"Um sucesso", diz Mesquita Machado

Já Mesquita Machado, que remeteu o balanço de Braga 2012 para o presidente da Fundação, Hugo Pires, afirmou que a CEJ foi um sucesso. “Num ano de fortes restrições financeiras, em termos globais, foi um evento com um grande sucesso”, disse. Sobre as críticas da oposição, o autarca disse que “há sempre más-línguas e carpideiras político-partidárias”. Mesquita e Rio concordam, no entanto, no sucesso que foi a Noite Branca, evento sob a égide de Braga 2012, com o presidente da autarquia a garantir que este é um dos “legados” que Braga 2012 deixa à cidade. “Foi um grande momento”, disseram.