dPigs: design “híbrido” e irreverente

Uma peça de madeira que é um porco e um cão em formato puzzle 3D. Uma cadeira de carvalho e tecido para montar. O dPigs, atelier de "designers híbridos", quer marcar a diferença pela "irreverência"

“Criar peças únicas que acrescentam valor às empresas.” É este o lema de trabalho no atelier dPigs, que diz juntar o melhor do design de produto e do design gráfico num único processo de produção.

Ivo Reis, Ana Santos, Bruno Marques e Tiago Pereira são os mentores criativos deste projecto, ainda a dar os primeiros passos no mercado. Juntos querem ser conhecidos por desenvolver “projectos inovadores” que conseguem unir diversas áreas, desde o design gráfico, a ilustração e o design industrial até às peças de mobiliário. 

Para se diferenciarem dos restantes atelieres, tentam "oferecer aos clientes propostas mais abrangentes", explica Ivo Reis. Por iso, a funcionar desde 8 de Dezembro de 2012, a dPigs já tem no seu portefólio peças que desafiam a mente de qualquer pessoa. Por exemplo, uma peça de madeira que representa, simultaneamente, um porco e um cão num puzzle 3D. Ou uma cadeira de carvalho e tecido composta por cinco peças cuja montagem fica à responsabilidade do seu futuro dono.

Apresentam-se, assim, como “designers híbridos" que querem marcar a diferença pela sua "irreverência" e pela forma "própria" como encaram o design. Para já só estão no início — chegaram aqui porque venceram um concurso da Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão de Vila do Conde (ESEIG), que lhes deu a oportunidade de desenvolverem um projecto à sua escolha durante um ano numa das suas incubadoras — mas a ambição vai mais longe. Primeiro, querem que a marca “ganhe cada vez mais visibilidade” e depois (porque não?) que “o conceito atravesse a fronteira nacional".