Crónica de jogo

Um penálti sobre a hora evitou a derrota do Benfica na Taça da Liga

Cardozo fez o golo do empate (1-1) no tempo de compensação da partida frente ao Moreirense. Só de grande penalidade os “encarnados” conseguiram chegar ao golo num jogo em que o seu ataque esteve apático.

Foto
O Benfica lidera o seu grupo da Taça da Liga, com quatro pontos, mais dois que Moreirense e Académica Rui Farinha

O Benfica continua com o apuramento para as meias-finais da Taça da Liga bem encaminhado, mas neste domingo as contas chegaram a parecer complicadas. Só nos instantes finais da partida frente ao Moreirense é que os “encarnados” conseguiram evitar a derrota, empatando o jogo (1-1) através de uma grande penalidade cobrada por Cardozo. O lance é um castigo severo para a equipa da casa, que foi mais objectiva e criou grandes dificuldades à equipa de Jorge Jesus.

A jogada que estabeleceu o resultado final aconteceu já em tempo de compensação. Cardozo caiu na entrada da área na sequência de um lance de bola parada. O fiscal de linha considerou o contacto com Anilton suficiente para derrubar o benfiquista e o árbitro assinalou a grande penalidade. Chamado a marcar, o ponta-de-lança paraguaio não desperdiçou a oportunidade para fazer o empate.

Aquele era já o segundo castigo máximo de que o Benfica dispunha na segunda parte. Na primeira ocasião (57’), Lima — que tinha sofrido a falta — foi o autor do remate, que o guarda-redes Ricardo Andrade defendeu.

Os dois penáltis foram das poucas ocasiões de real perigo que o Benfica construiu ao longo de todo o encontro. Apesar do maior caudal ofensivo e do número de unidades que colocava no último terço do terreno — o jogo terminou com quatro pontas-de-lança benfiquistas em campo — a equipa de Jorge Jesus mostrou-se quase sempre lenta e pouco objectiva na construção.

Desde cedo que se percebeu que esta não era a melhor versão do Benfica. Aos 9 minutos, Salvio, com um remate forte, obrigou Ricardo Andrade a uma defesa apertada, mas esse foi o único remate à baliza que os benfiquistas fizeram durante todo o primeiro tempo.

A primeira grande oportunidade do jogo foi, de resto, para a equipa da casa, aos 13 minutos, com um cabeceamento de Ghilas para defesa por instinto de Paulo Lopes. Na oportunidade seguinte (41’), o avançando franco-argelino não perdoou. A defesa benfiquista foi apanhada em contra-pé com um lançamento comprido e o homem do Moreirense fiou isolado em frente ao guarda-redes, fazendo o 10.º golo na temporada.

No segundo tempo, o Benfica foi encostando o Moreirense à sua grande-área, mas a sobrecarga ofensiva não criava grande mossa. Apesar de alguns momentos de aflição para a defesa contrária, não houve nenhuma grande oportunidade para os “encarnados” até ao lance da grande penalidade.

A formação de Lisboa lidera assim o seu grupo da Taça da Liga, com quatro pontos, mais dois que Moreirense e Académica.