Boavista vai a votos na sexta-feira com João Loureiro como único candidato

Antigo presidente dos boavisteiros volta ao cargo cinco anos depois de o ter abandonado.

João Loureiro é o único candidato às eleições do Boavista
Foto
João Loureiro é o único candidato às eleições do Boavista Ricardo Castelo/NFactos

João Loureiro é o único candidato às eleições do Boavista, que, na sexta-feira, vai escolher a nova direcção, em acto que vai decorrer entre as 15h e as 19h, no Estádio do Bessa.

Loureiro volta assim ao clube a que presidiu de 1997 a 2007, tendo saído por sua vontade. Durante a sua liderança, a equipa ganhou diversos troféus, com realce para o título nacional, na época de 2000-2001.

O candidato encontra-se em silêncio desde o dia 7 de Dezembro, altura em que confirmou que estava disponível para liderar novamente o clube.

Loureiro disse que decidiu avançar “após sentir união” à sua volta e que tenciona “gerir o Boavista da forma mais abrangente possível, esquecendo eventuais pequenas quezílias do passado”.

Afirmou, também, não ter “nenhuma varinha mágica” para resolver “os difíceis problemas” que o clube tem neste momento.

O Boavista tem um desafio muito grande, que se prende com a sua adesão ao Processo Especial de Revitalização (PER), o que aconteceu em Novembro passado, depois de os seus dirigentes reconhecerem que a situação actual é de “insustentabilidade financeira”.

O clube pediu a sua adesão ao PER no Tribunal de Comércio de Vila Nova de Gaia, reconhecendo ter quase 50 credores, aos quais deve 48,3 milhões de euros. João Loureiro realçou que é preciso “ultrapassar com sucesso esse obstáculo”, alegando estar “em causa a própria sobrevivência do Boavista”.

O tribunal nomeou, entretanto, um administrador judicial provisório, o que o impede desde logo de praticar actos de “especial relevo”, como certas alienações e celebrações de novos contratos.

Ao mesmo tempo, o Boavista viu o Tribunal Central Administrativo do Sul (TCAS) rejeitar o recurso apresentado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF) da decisão, em primeira instância, da anulação da despromoção, em 2008, à II Liga.

Tal decisão reforça a esperança dos boavisteiros de que o clube acabará por ser reintegrado no escalão maior do futebol português, e indemnizado pelos danos financeiros sofridos com a despromoção ao escalão secundário.

O Boavista disputa actualmente a zona norte da II Divisão, na qual ocupa o 10.º lugar, somando 15 pontos, em 12 jogos realizados.

A tomada de posse da nova direcção está prevista para dia 2 de Janeiro.