Greve nos transportes paralisa Grande Lisboa

Trabalhadores da CP, da Refer, da Carris, da STCP, da Rodoviária do Tejo e do Metro Sul paralisam em protesto contra leis do trabalho.

CP informou que maior parte das ligações serão suprimidas no dia de Natal
Foto
CP informou que maior parte das ligações será suprimida no dia de Natal José Fernandes/arquivo

O regresso a casa de muitos portugueses no dia de Natal será dificultado pela greve dos maquinistas da CP neste 25 de Dezembro. A paralisação levará à supressão da maior parte das ligações previstas para este dia de Natal.

Até às 12h, os comboios estiveram "praticamente parados", adiantou à agência Lusa António Medeiros, do Sindicato Nacional dos Maquinistas.

Os trabalhadores contestam as alterações introduzidas pelo Código do Trabalho, que entrou em vigor a 1 de Agosto. As alterações contemplam uma redução de 50% do valor pago pelo trabalho em dia de feriado.

Segundo uma fonte da CP ouvida também pela Lusa, até a essa hora tinham circulado apenas dois comboios de longo curso: um de Lisboa para o Porto e outro de Guimarães para Lisboa.

Os serviços mínimos garantiam apenas um comboio fizesse nesta terça-feira a ligação Lisboa-Porto. E um em cada sentido entre Guimarães e Lisboa. De Lisboa para a Guarda e para Faro, há apenas uma ligação.

Os comboios regionais e urbanos de Lisboa e do Porto estão também a circular apenas com serviços mínimos e, informa a CP no seu site, tanto o serviço regional como o urbano deverão continuar a sofrer perturbações ao longo do dia 26 de Dezembro.

A greve nos transportes públicos estende-se à Carris, à Rodoviária do Tejo e à Metro Sul do Tejo, em Lisboa, e à STCP, no Porto. Também os trabalhadores da Refer e da CP Carga estão em greve desde a véspera de Natal.

Numa nota publicada no site, a Carris informa que as carreiras 703, 728, 729, 736, 742, 755 e 783 estarão a 25 de Dezembro a circular com 50% da oferta normal em horário de feriado. A STCP alerta para a possibilidade de "falhas nas viagens" na véspera e no dia de Natal, sem adiantar que serviços estão assegurados. Já a Rodoviária do Tejo dá conta, no seu site, das carreiras a circular no dia de Natal.

Segundo o Sindicato Nacional dos Maquinistas, a adesão à greve dos trabalhadores do Metro Sul do Tejo foi de 100%. A empresa disse à Lusa que "a circulação está a funcionar a 85%", acrescentando que, ainda assim, a qualidade do serviço não está a ser afectada por a procura ser escassa.

Notícia actualizada às 14h35: acrescentados números da adesão à greve