Novo líder da JSD quer revisão da Constituição na agenda política

Hugo Soares rende Duarte Marques como presidente da Juventude Social-Democrata

O novo presidente da Juventude Social Democrata (JSD) defendeu domingo a revisão da Constituição portuguesa, sublinhando que este será um dos temas a introduzir na agenda política nacional durante o seu mandato.

Eleito domingo em Fátima, após um congresso que durou de três dias, Hugo Soares sustentou que “cada geração precisa da sua Constituição e esta falhou porque não garantiu o Estado Social ou o desenvolvimento económico do país”, exortando a Juventude Socialista a juntar-se ao debate.

O novo líder da JSD esclareceu também que a actual discussão à volta da refundação do Estado social passa por abordar as questões de soberania, bem como de acesso à justiça, educação e saúde, avisando que as áreas do ensino e da saúde devem ser consideradas “intocáveis”.

“A gratuitidade no acesso ao ensino e saúde tem que ser sempre uma exigência, mas não acredito num país que quando os impostos não são suficientes para garantir o Estado social e as pessoas que ganham 600 ou 700 euros paguem o mesmo que alguém que ganha 3,4,5,6 mil euros quando vai a uma consulta médica no hospital”, exemplificou.

Europa é um tema incontornável

Hugo Soares assegurou que os próximos dois anos de mandato serão marcados pela discussão de temas “que não é muito normal as juventudes partidárias tratarem”.

Antes do discurso da vitória, aquele que foi o único candidato à presidência da JSD, defendeu a eleição por sufrágio directo universal do próximo presidente da Comissão Europeia, sustentando que a Europa é um tema incontornável devido ao “insucesso do Tratado de Lisboa” e pelo falhanço dos mecanismos da União Europeia” no combate à crise, o que resultou em taxas de desemprego “inadmissíveis”.

No congresso marcaram presença cerca de um milhar de jovens, num evento que marca igualmente a saída do actual líder Duarte Marques.

Com três áreas temáticas prioritárias (Educação, o Emprego e Empreendedorismo e a Justiça Intergeracional e o Estado Sustentável) e sob o lema “Hoje Construímos o Futuro”, o XXII Congresso Nacional da JSD contou com a presença do presidente do PSD e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, na sessão de encerramento.