Crónica de jogo

Cardozo centenário e um ano que acaba bem para o Benfica

“Encarnados” estiveram a perder, mas acabaram por vencer o Marítimo (4-1), terminando 2012 na liderança do campeonato. Avançado paraguaio marcou três e passou a barreira dos 100 golos pelas “águias”.

Cardozo foi o homem da noite
Foto
Cardozo foi o homem da noite HENRIQUES DA CUNHA/AFP

A relação com os adeptos nem sempre foi a melhor, mas Cardozo tem feito para que não seja assim e o benfiquista mais irredutível dificilmente arranjará argumentos contra o paraguaio. Cardozo foi neste sábado a grande figura benfiquista, ao marcar três golos no triunfo por 4-1 sobre o Marítimo na Luz em jogo da 12.ª jornada da liga. Com o seu hat-trick deste sábado, Cardozo chegou aos 101 golos pelo Benfica na Liga portuguesa, marca que atinge à sexta época com as águias, que, com este triunfo, vão acabar o ano na liderança isolada do campeonato, já que o FC Porto não jogou e o seu encontro com o V. Setúbal só se irá disputar em 2013.

Mesmo à condição, a liderança isolada no final de 2012 era uma motivação extra para o Benfica. Um empate chegava, mas não era esse o objectivo da formação de Jorge Jesus, que entrou em campo disposta a resolver rapidamente o encontro.

Durante 20 minutos, o jogo foi todo em sentido único, o da baliza de Ricardo. A equipa madeirense nem sequer conseguia sair do seu meio-campo, tal era a pressão do Benfica.

Entre os 15’ e os 22’, Lima, por duas vezes, e Cardozo foram perdulários e o marcador manteve-se a zero. E depois, no seu primeiro remate à baliza, o Marítimo marcou.

Num livre marcado do lado esquerdo do ataque madeirense, a bola fica a pingar na área benfiquista e Rodrigo António bateu Artur, num jogo em que o Marítimo não estava a existir para lá da sua defensiva.

O Benfica ficou um pouco atordoado, levou alguns minutos a voltar a colocar o pé no acelerador, mas recuperou rapidamente o seu domínio e a vantagem maritimista não durou nem dez minutos.

Minuto 34, mais uma investida de Ola John, cruzamento do holandês, Salvio amorteceu e Cardozo, oportuno como poucos, meteu a bola na baliza.

Empate, algum alívio “encarnado”, mas o resultado continuava a ser “mentiroso”. Até ao intervalo, o Benfica podia ter dado a volta completa ao marcador, mas a bola teimava em não entrar.

A segunda parte começou como a primeira, com o Benfica a carregar, mas só deu frutos aos 65’. A bola foi ter ao braço do central Roberge, o árbitro Hugo Pacheco considerou que foi lance ilegal do francês (mas não pareceu intencional).

Roberge viu o segundo amarelo, foi expulso e Cardozo, aos 66’, fez o 2-1. A diferença era mínima, mas o jogo parecia ter acabado logo ali. Só que o paraguaio ainda tinha mais para dar.

Minuto 69, Cardozo aproveitou uma falta de posicionamento da defesa madeirense e fez o seu terceiro no jogo.

O paraguaio saiu para os aplausos, substituído por Rodrigo e o espanhol, no minuto seguinte, fez o 4-1. Mas este jogo foi de Cardozo.