Torne-se perito

Obama chora as vítimas da escola de Sandy Hook

Barack Obama diz que o país já teve de passar por demasiadas tragédias semelhantes e que vai ter de tomar medidas.

Foto
Obama fez um discurso emocional Mandel NGAN/REUTERS

Sem conseguir conter as lágrimas, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse hoje que a América tinha o coração partido com a tragédia na escola primária de Sandy Hook, no Connecticut, onde pelo menos 27 pessoas morreram num inexplicável ataque a tiro durante a manhã.

“Sei que não há nenhum pai na América que não sinta a mesma dor profunda que eu sinto”, declarou o Presidente, que se referiu às 20 crianças com idades entre os cinco e os dez anos, “com toda a vida à sua frente: aniversários, licenciaturas, casamentos, filhos...”.

Obama disse que, como muitos outros pais americanos, esta noite iria abraçar as suas filhas com mais força, e com a voz embargada lamentou que em Newtown muitas famílias não pudessem fazer o mesmo. “Nada pode preencher o espaço vazio da perda de um filho”, reconheceu o Presidente.

Numa breve comunicação ao país, Obama garantiu ainda que a sua Administração já disponibilizara “todos os recursos necessários” para colaborar com as autoridades do Connecticut na investigação do incidente.

“Já tivemos de passar por demasiadas tragédias como esta neste país”, recordou Barack Obama, que não se pronunciou sobre a delicada questão do acesso às armas nos Estados Unidos mas assinalou um número de tiroteios recentes. “Independentemente das questões políticas, vamos ter de tomar medidas”, observou.

Pouco depois das 9h30 (hora local), um homem envergando um colete à prova de bala e munido de pelo menos quatro armas de fogo entrou na escola primária de Sandy Hook (Connecticut) e disparou mais de cem tiros, atingindo dezenas de pessoas. O número de vítimas ainda não foi apurado, mas já foram confirmadas 27 mortes: 20 crianças, seis adultos e o atirador, que se suicidou.

O atirador foi inicialmente identificado pela imprensa americana como Ryan Lanza, um homem de 24 anos, de Nova Jérsia. A NBC News dizia, porém, que essa poderia ser a identidade do irmão mais velho do atirador, encontrado morto numa residência de Hoboken, Nova Jérsia.

Não foi avançado para já um motivo para o ataque, mas a sua mãe Nancy, professora na escola, poderia ser o seu alvo principal. Além de abater a mãe, o atirador disparou indiscriminadamente sobre as crianças presentes na sua sala e também outros alunos e professores.

 

Sugerir correcção