Ligação à Administração Pública aumenta risco de corrupção

Novo simulador disponível na Internet permite às empresas saber qual o seu risco de exposição à corrupção.

Foto
O país de destino das exportações é um dos factores de risco PÚBLICO

O chamado Guia Prático de Gestão de Riscos de Corrupção foi apresentado na manhã desta segunda-feira. Guálter Crisóstomo, do centro de inovação INTELI, explicou que outro factor de peso no aumento do risco de exposição à corrupção é o da utilização de intermediários. O país de destino e o sector de negócios são outros factores que podem potenciar o perigo.

No simulador online disponível no sítio de Internet www.gestaotransparente.org é apresentado um questionário às empresas, que pode ser respondido em menos de dois minutos, com vista a traçar o seu perfil. Com base nas respostas obtidas, é avaliado qual o nível da sua exposição ao risco da corrupção e apresentadas medidas com vista a reduzi-lo.

O projecto Gestão Transparenete.org envolveu algumas das principais empresas do PSI-20, entre elas a EDP e a REN, e contou também com a colaboração do Departamento Central de Investigação e Acção Penal, do Conselho de Prevenção da Corrupção, ligado ao Tribunal de Contas, e da Universidade do Minho.