Alunos da Soares dos Reis manifestam-se contra novas regras de acesso ao superior

Quatro centenas de estudantes desfilaram pelas ruas do Porto contra alteração que faz com que a média das disciplinas do ensino especializado deixe de contar para acesso à universidade.

O problema estende-se às escolas do ensino artístico especializado
Foto
O problema estende-se às escolas do ensino artístico especializado DR

Cerca de 400 alunos da escola artística Soares dos Reis, no Porto, congestionaram esta quinta-feira o trânsito em algumas da principais artérias da cidade, numa manifestação contra as novas regras de avaliação e de acesso ao ensino superior.

“Crato para a rua, a arte continua”, “Abaixo o Crato”, “Filósofos há muitos, artistas há poucos” e “Não aos exames — chumbamos esta avaliação” foram algumas das expressões gritadas durante o protesto.

Nem a chuva demoveu os estudantes deste protesto, cujo trajecto, de cerca de uma hora e feito a pé, começou na escola e terminou nas instalações da Direcção Regional de Educação do Norte.

Em meados de Novembro, o director da escola artística Soares dos Reis havia classificado de ilegal a nova forma de cálculo das médias de notas dos alunos de artes que queiram ingressar este ano lectivo no ensino superior e acusou o Governo por ter alterado as regras sem falar previamente com os responsáveis daquela instituição.

Com as novas regras, os estudantes não podem candidatar-se ao ensino superior com as notas da formação em contexto de trabalho e da prova de aptidão artística, ou seja, a média das disciplinas do ensino especializado não é valorizada, enquanto no passado era.

O Ministério da Educação e Ciência já informou estar “disponível” para encontrar uma solução com as escolas — além da Soares dos Reis, também o director da António Arroio, em Lisboa, já se manifestou contra — sobre as novas regras de acesso ao ensino superior.