Desemprego em Portugal volta a subir para 16,3%, diz Eurostat

O gabinete de estatísticas europeu aponta para nível recorde de desemprego na zona euro e um aumento de 0,1 pontos em Portugal.

A espera do desemprego vai agravar-se
Foto
A espera do desemprego vai agravar-se Foto: Paulo Pimenta

A taxa de desemprego em Portugal voltou a subir em Outubro para os 16,3%, recorde que já tinha sido registados em Agosto. De acordo com os dados divulgados esta sexta-feira pelo Eurostat, o desemprego em Portugal aumentou 0,1 pontos, contrariando a queda de Setembro. Os dados do gabinete de estatística europeu mostram um aumento de 2,6 pontos em relação a Outubro de 2011.

O Eurostat coloca Portugal no grupo dos países com as maiores subidas no desemprego em relação a 2011, acompanhando Grécia, Espanha e Chipre. Em Espanha, a taxa de desemprego registada pelo Eurostat para Outubro mostra uma subida de 0,4 pontos face a Setembro, para os 26,2%, o resultado mais elevado da Europa, maior do que os 25,4% da Grécia registados em Agosto, o último mês disponível.

Na zona euro, o desemprego situa-se agora no nível mais alto desde que o Eurostat começou a registar estes dados, em 1995. Nos 27 países da União Europeia, a taxa de desemprego situa-se agora nos 10,7%, um aumento face aos 10,6% de Setembro. <_o3a_p>

O desemprego em Itália subiu para os 11,1% em Outubro, mais 0,3 pontos do que em Setembro, um resultado em linha com o que foi avançado também nesta sexta-feira pelo gabinete de estatística do país. <_o3a_p>

Alemanha e França mantiveram a sua taxa de desemprego em Outubro, 5,4% e 10,7%, respectivamente. No entanto, as duas maiores economias europeias mostram tendências diferentes. No caso da Alemanha, o desemprego tem vindo a reduzir-se desde 2011, ano em que a taxa de Outubro se situava nos 5,7%. No caso oposto da França, o desemprego tem vindo a aumentar, tendo registado uma subida de um ponto percentual face a Outubro de 2011. <_o3a_p>

Os dados do desemprego do Eurostat são calculados com base na informação do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do Instituto de Emprego e Formação Profissional, e são frequentemente ajustados em função das actualizações do gabinete de estatística nacional. O INE apresenta apenas resultados trimestrais e não apresenta, portanto, dados para o desemprego de Outubro. 

<_o3a_p>