Miguel Gonçalves Mendes fotografado com Mário Cesariny, em Novembro de 2004
Foto
Miguel Gonçalves Mendes fotografado com Mário Cesariny, em Novembro de 2004

Valter Hugo Mãe vai entrar no próximo documentário do realizador de "José e Pilar"

Realizador procura co-produtores disponíveis para investirem 5000 euros (ou mais) em "O Sentido da Vida"

O realizador reconhece que é um filme “ambicioso” – um documentário de longa-metragem que anda à procura do sentido da vida com um protagonista que pode vir a perdê-la em breve e que implica uma volta ao mundo não poderia ser outra coisa.

Miguel Gonçalves Mendes, o realizador português por trás de "José e Pilar" (2010), retrato intimista da vida do escritor José Saramago e da sua relação com a mulher, a jornalista espanhola Pilar del Río, conta com o escritor Valter Hugo Mãe no seu novo projecto. O anúncio foi feito esta terça-feira. 

O escritor, que recebeu segunda-feira em S. Paulo o Prémio Portugal Telecom 2012, um dos mais importantes da literatura em língua portuguesa, aceitou participar no filme "O Sentido da Vida", ainda em fase de preparação. Hugo Mãe será uma das sete “personagens reais” com quem Miguel, o protagonista e espécie de alter-ego do realizador de 34 anos, se vai cruzar durante a sua viagem por cinco países: Portugal, Brasil, Islândia, Inglaterra e Japão. 

Gonçalves Mendes escolheu o autor de "A Máquina de Fazer Espanhóis", romance que lhe valeu o prémio, por ser “um escritor extraordinário”, com obras de uma “humanidade incrível” em que o humor é fundamental, explicou à agência Lusa.

“Nos seus livros existe uma procura de um certo apaziguamento connosco próprios”, acrescentou, lembrando outra frase de Hugo Mãe, com a qual se identifica e que estabelece facilmente uma ponte com o novo filme: “Temos de aprender a viver em solidão, uma solidão acompanhada.” 

"O Sentido da Vida" faz-se em torno de um homem que, ao descobrir que tem uma doença à qual pode não sobreviver, decide viajar sem rumo. É nessa viagem que encontra sete personagens – “sete arquétipos”, diz o realizador no site que criou especificamente para o documentário – que se movem nos seus universos reais.

Um político, um filósofo e um astronauta

Miguel, o protagonista, é o fio condutor que une as sete histórias verdadeiras que Gonçalves Mendes quer contar. Para além do escritor português, o documentário incluirá um político, um filósofo ou um astronauta. 

Embora não tenha ainda conseguido falar esta quarta-feira com nenhum dos dois, o PÚBLICO sabe que, no caso de Valter Hugo Mãe, o método de pesquisa e trabalho do realizador será semelhante ao usado com Saramago: o autor de "José e Pilar" vai passar uma temporada em casa do escritor para perceber como vive, que rotinas tem, de que são feitos os seus dias de trabalho ou de lazer. Só depois passará à rodagem. 

O documentarista está habituado a andar pela casa de escritores, já que também é autor de "Autografia" (2004), documentário à flor da pele sobre o poeta e pintor Mário Cesariny (1923-2006). 

O novo documentário tem já como co-produtora a O2 Filmes, do cineasta brasileiro Fernando Meirelles, mas Gonçalves Mendes lançou em simultâneo uma campanha para garantir um financiamento colectivo.

Na página que criou na Internet para "O Sentido da Vida" explica-se aos possíveis interessados como fazer donativos, receber um "frame"autografado do filme e até como aparecer nele (há uma sequência em que surgem inúmeras caras, precisa o realizador). Os que estejam dispostos a despender quantias mais elevadas podem mesmo tornar-se co-produtores (com 5000 euros ou mais).