Figo admite, um dia, ser presidente do Sporting

O ex-internacional português fez questão de frisar que, de momento, a hipótese é uma mera suposição.

Figo não quer ser treinador de futebol
Foto
Figo não quer ser treinador de futebol Rui Soares

O antigo futebolista Luís Figo admitiu nesta segunda-feira a possibilidade de um dia poder candidatar-se ao cargo de presidente do Sporting, descartando a hipótese de enveredar pela carreira de treinador, mesmo que o convite surja de Alvalade.

Figo, que falava à margem da inauguração do espaço Escolinha do Figo, no Fórum Sintra, deixou claro que não pensa abandonar o Inter de Milão, onde é director de Relações Internacionais, sustentando que passa de uma mera “suposição”

“Nunca afirmei que queria ser treinador, muito menos do Sporting. Não passa pela minha cabeça ser treinador, isso não me atrai. Talvez presidente. Mas isso são suposições. Estamos a falar de coisas que não são reais. Não gosto de falar de algo que não é real”, afirmou.

A viver em Itália, Luís Figo considera que, neste momento, o campeonato português é “uma luta a dois, entre FC Porto e Benfica” e que a época do Sporting “está um pouco aquém do que é o valor e o significado do clube”.

Para Luís Figo, a recente troca de palavras entre o seleccionador português, Paulo Bento, e o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, “é normal acontecer”, contudo, defende, que há locais próprios para se discutir os interesses de ambas as partes.

“Os clubes defendem os interesses dos seus jogadores e dos seus objectivos. A selecção defende os seus interesses em relação aos jogos calendarizados. Há que encontrar um equilíbrio, mas não é nessa troca de afirmações que as coisas se vão resolver. Isso tem de ser discutido na `associação de clubes’ e depois, em conjunto, ser levado à UEFA e à FIFA para se mudar esses jogos ao longo do ano”, rematou.