Restaurante e exploração animal em Leiria encerrados pela ASAE

Autoridades detectaram falta de higiene e de licenciamento do restaurante. O abate dos animais estava a ser feito de forma clandestina, sem registo, e foram recolhidas amostras de águas e solos contaminados.

Foto
Rui Gaudêncio

Um restaurante e uma exploração animal foram encerrados em Leiria por representarem perigo para a saúde pública. Em comunicado, a PSP revela que o encerramento foi decidido na sequência de uma operação que também resultou na apreensão de armas proibidas.

Em causa está, entre outras infracções, a falta de higiene e de licenciamento do restaurante, o abate clandestino de animais, a ausência de registo da exploração e dos animais, bem como amostras de águas e solos contaminados.

O estabelecimento é o restaurante O Índio, segundo avança o jornal Região de Leiria. O PÚBLICO contactou o estabelecimento mas apenas conseguiu confirmar a ordem de encerramento junto de uma funcionária. A gerência não estava disponível para falar no momento.

A PSP, que deteve um homem por posse ilegal de uma pistola, uma espingarda, munições e cartuchos, sublinhou que decisão da suspensão de actividade do restaurante e da exploração - que pertencem ao mesmo proprietário - é da responsabilidade da Autoridades de Segurança Alimentar Económica e da Autoridade de Saúde.

Na operação, baptizada de “Açougue”, foram apreendidos ainda 378 quilos de carne de porco – 46 dos quais provenientes de abate clandestino – e nove quilogramas de salmão.

A PSP informou que na operação policial, que envolveu 39 elementos, colaboraram também a Inspecção Geral da Agricultura, do Mar, do Ambiente e Ordenamento do Território, bem como a Autoridade para as Condições de Trabalho e a Autoridade Tributária das Finanças, que notificaram o proprietário do estabelecimento e da exploração animal a apresentar, respectivamente, documentação relativa aos funcionários e justificação para os dinheiros encontrados.

As diligências foram “sustentadas na recolha de informações efectuadas no decurso do último mês”, culminando na emissão de dois mandados de busca domiciliária, dois mandados de busca não domiciliárias e dois mandados de busca a viaturas, englobando estes um estabelecimento de restauração na cidade de Leiria e quinta/terreno de exploração de animais, na freguesia da Barreira.