Empresas oferecem serviços a instituições de solidariedade social de Viana

Projecto pioneiro envolve 52 empresas do concelho de Viana do Castelo e visa apoiar jovens e idosos.

Empresas também vão animar aniversários de crianças
Foto
Empresas também vão animar aniversários de crianças daniel rocha

Pode ser um corte de cabelo, um bolo de aniversário, a reparação de electrodomésticos, remodelações em edifícios ou sessões de fisioterapia ao domícilio.

Estes são apenas alguns exemplos dos serviços que 52 empresas de Viana do Castelo vão oferecer, durante um ano, e, que podem fazer toda a diferença a oito instituições de solidariedade social da cidade que acolhem mais de 600 crianças e jovens.

O programa Voluntariado Empresarial, lançado pela Câmara Municipal, é formalizado esta tarde com a assinatura dos protocolos de colaboração entre instituições e empresas. O acordo começa a ser aplicado a 1 Dezembro e termina a 30 de Novembro do próximo ano, e poderá sempre ser renovado.

Este projecto de aproximação entre competências das empresas e as necessidades das Instituições Particulares de Solidariedade Social seleccionou para a primeira edição a Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM), o Berço, a Casa dos Rapazes, o Lar de Santa Teresa, a Associação de Paralisia Cerebral de Viana (APCVC), a Associação dos Amigos do Autismo (AMA), a Associação de Cegos e Amblíopes (ACAPO) e a Íris Inclusiva.

Com o lema “Quem ama cuida”, o projecto Voluntariado Empresarial foi apresentado em Julho e, na altura, apenas 18 empresas tinham mostrado interesse em participar. Apesar das dificuldades que o tecido empresarial enfrenta, o projecto foi conquistando os empresários da região e regista actualmente mais de meia centena de empresas disponíveis a exercer a sua responsabilidade social.

De acordo com a vereadora da Acção Social do município, Ana Margarida Silva, este projecto vai além da mera atribuição de dinheiro ou subsídios. A cedência de mão-de-obra e de competências a título gratuito é o espírito do Voluntariado Empresarial. Segundo a responsável, o programa pretende apoiar as instituições “com pequenos gestos”, como a pintura de paredes, oferta de bolos de aniversário às crianças, manutenção de viaturas, apoio ao equipamento informático, reabilitações dos espaços, acções de animação, cortes de cabelo, fornecimento de pão, dinamização de actividades desportivas, entre muito mais.

O programa Voluntariado Empresarial vai desenvolver-se em duas modalidades. O Voluntariado de Competências, que abrange 29 empresas das mais diferentes áreas actividade, desde a construção civil, à fisioterapia, passando pelos cabeleireiros e pastelarias, que vão prestar os serviços que as instituições identificaram como mais necessários, durante um ano. O Voluntário Pontual conta já com o compromisso de 23 empresas do concelho destina-se a dar resposta às necessidades ocasionais que as instituições identificarem.

Por exemplo, para assinalar o Dia Internacional do Voluntariado, que se comemora a 5 de Dezembro, as empresas do Voluntariado Pontual vão disponibilizar recursos humanos para a iniciativa “Outdoor solidário” e ajudar duas instituições da cidade. Juntamente com funcionários municipais, os colaboradores destas empresas irão participar em acções de beneficiação, recuperação e pintura, entre outras, no Berço, instituição da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima que acolhe bebés e crianças em risco, e no Lar de Santa Teresa, que apoia crianças e jovens do sexo feminino. As intervenções nas duas instituições vão decorrer durante quatro dias.

A pensar nos idosos não institucionalizados, o Voluntariado Empresarial não esqueceu a importância do exercício físico na prevenção de doenças. O programa inclui actividade física no domicílio, com a intervenção de técnicos especializados. A ideia é que, durante três semanas, o técnico ajude 15 idosos com mais de 65 anos a manter a sua capacidade física.

A partir do próximo ano, o objectivo da Câmara de Viana é alargar o alcance do programa Voluntariado Empresarial, aumentando o número de empresas participantes para poder dar resposta às necessidades de cada vez mais instituições, abrangendo desta forma mais crianças, jovens e idosos.

Sugerir correcção