P3
Foto
P3

Primeira escola para pilotos de balões de ar quente abre em Fronteira

O curso terá um custo entre os quatro e cinco mil euros, sendo a formação constituída por uma componente teórica de mais de 106 horas e, no mínimo, mais de 20 horas de voo

A primeira escola do país para pilotos de balões de ar quente abre as portas esta quinta-feira, em Fronteira, no Alto Alentejo, revelou à agência Lusa o instrutor de voo, Aníbal Soares.

Além da formação de pilotos de balões de ar quente, a escola, Alentejo Sem Fronteiras - Escola de Balonismo/Clube, pretende, segundo o mesmo responsável, ministrar estágios de aperfeiçoamento para equipas de resgate e dar a conhecer ao público esta actividade”.

A inauguração da escola estava prevista para meados de 2010, mas a “inexistência” de uma lei que regulasse o sector levou ao seu sucessivo adiamento. De acordo com Aníbal Soares, que preside também ao clube de balonismo da escola, em Portugal “há muita gente” que procura tirar o curso de balonismo, mas o preço dos equipamentos é “bastante dissuasor” por ser “muito elevado”.

PÚBLICO -
Foto
P3

Aníbal Soares explicou que, com a entrada da escola em funcionamento, esta situação vai “desaparecer”, porque o estabelecimento de ensino vai adquirir “dois ou três balões” e todos aqueles que queiram tirar o curso, após o diploma, poderão “alugar” os balões para voar. “Não é necessário fazer a aquisição, despender dinheiro para adquirir um balão e todo o restante equipamento, porque a escola pode fornecer”, acrescentou.

Para os interessados em tornarem-se pilotos de balões de ar quente, o curso terá um custo “entre os quatro e cinco mil euros”, sendo a formação constituída por uma componente teórica de mais de 106 horas e, no mínimo, mais de 20 horas de voo. Com o brevê de pilotos em Portugal há cerca de “30 pessoas”, mas, com a abertura da escola em Fronteira, Aníbal Soares acredita que esse número vai “aumentar”, indicando que também têm projectos para desenvolver com federações estrangeiras de balonismo no sentido de formar novos pilotos.

A inauguração da escola, que conta com o apoio do município de Fronteira, ocorre numa altura em que está a decorrer o 16.º Festival Internacional de Balões de Ar Quente - Elvas Património da Humanidade. Esta iniciativa teve início no sábado em Elvas, com a participação de cerca de 50 pilotos, oriundos de vários países da Europa, Brasil e África do Sul.

O festival, promovido pela empresa Publibalão, decorre até domingo, estando previstos voos para as zonas de Elvas, Alter do Chão e Fronteira.