Estação de comboios do Cais do Sodré, em Lisboa, classificada monumento de interesse público

Foto
A estação foi desenhada pelo arquitecto Pardal Monteiro, em 1925 Foto: Rui Soares

A estação de comboios do Cais do Sodré, em Lisboa, construída na década de 1920, foi classificada como monumento de interesse público, de acordo com uma portaria publicada nesta quarta-feira em Diário da República.

A portaria 658/2012 refere que “é classificada como monumento de interesse público a Estação Ferroviária do Cais do Sodré, no Cais do Sodré e na Avenida de 24 de Julho, Lisboa, freguesia de São Paulo, concelho e distrito de Lisboa”.

Datada de 24 de Outubro, a portaria foi assinada pelo então secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas. 

A estação foi desenhada pelo arquitecto Pardal Monteiro, em 1925, e encomendada pela Sociedade Estoril, que na altura detinha a exploração da linha férrea entre Lisboa e Cascais, na época em que esta passou a ser electrificada.<_o3a_p>

O edifício foi construído entre 1925 e 1928 e representa o esforço de modernização daquela linha férrea, “respondendo de forma inovadora ao modo como integra a fachada simétrica na malha urbana pré-existente”, lê-se na portaria. <_o3a_p>

O documento refere que a classificação desta estação teve por base critérios como o “génio do respectivo criador, o valor estético e técnico do bem e a sua concepção arquitectónica”.

A estação do Cais do Sodré junta-se assim à estação fluvial Sul e Sueste do Terreiro do Paço, também em Lisboa, que recebeu a mesma classificação numa portaria de 22 de Outubro. No documento lê-se que a estação, situada na Avenida Infante D. Henrique, “foi projectada para ligar à cidade de Lisboa, e por via fluvial, as linhas ferroviárias do sul do país, que terminavam no Barreiro”.

Este edifício “é um dos mais destacados traçados do arquitecto Cottinelli Telmo”, constituindo “uma obra de importância fundamental no panorama da arquitectura portuguesa contemporânea”, refere o documento.