Justiça

PSP prende adepto do Benfica que disparou "very light" mortal em 1996

A Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou, em comunicado, ter detido nesta quarta-feira o adepto do Benfica que foi condenado como o autor do disparo mortal do "very light" que matou um adepto do Sporting na final da Taça de Portugal em 1996.

Na nota enviada às redacções, a PSP comunica que o adepto foi detido durante o jogo do Benfica com o Spartak Moscovo, no Estádio da Luz, por ter lançado uma cadeira sobre "elementos policiais", "vindo a atingir um elemento desta polícia, causando-lhe ferimentos na mão e na perna".

O referido adepto benfiquista não é identificado pelo nome no comunicado da PSP, mas deverá tratar-se de Hugo Inácio, que foi condenado por ser o autor do disparo do "very light", na final da Taça a 18 de Maio de 1996, que resultou na morte do adepto sportinguista Rui Mendes.

Em Março de 1997, Inácio, membro da claque No Name Boys, foi condenado a quatro anos de prisão por negligência grosseira. O Ministério Público recorreu e o julgamento foi repetido em Janeiro de 1998, não tendo sido alterada a sentença. Em 2000, evadiu-se da cadeia do Linhó, acabando por ser recapturado em Fevereiro do ano passado, cumprindo, depois os 15 meses de pena que lhe restavam.

Ainda de acordo com o comunicado, a PSP deteve 30 adeptos do Spartak Moscovo, antes do início do jogo, por se terem envolvido em confrontos com membros das claques "encarnadas".

A nota da PSP refere que todos os detidos serão nesta quinta-feira presentes a 1.ª Interrogatório Judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, "para aplicação das respectivas medidas de coacção".