Crónica de jogo

Um precioso zero que garante mais 3,5 milhões de euros para o FC Porto

Empate (0-0) em casa do Dínamo de Kiev vale apuramento e mais 3,5 milhões de euros.

O jogo foi, quase sempre, enfadonho, mas mesmo sem realizar uma exibição brilhante, o FC Porto alcançou o primeiro objectivo da época. No Estádio Olímpico de Kiev, os portistas empataram a zero frente ao Dínamo, garantindo, à quarta jornada do Grupo A, um lugar nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Sem Fernando, Maicon e Alex Sandro, Vítor Pereira apostou em Abdoulaye, mas a nota artística dos “azuis e brancos” ficou-se pelo suficiente. James foi dos poucos que tentou quebrar a monotonia. Com este resultado o FC Porto garante três milhões pelo apuramento e 500 mil euros pelo empate.

A cerca de uma hora do início da partida, a dúvida sobre a peça que faltava para completar o puzzle de Vítor Pereira foi esclarecida. O jogo era a doer, na ficha clínica constavam os nomes de dois indiscutíveis na defesa (Maicon e Alex Sandro) e, estando Mangala encostado à esquerda, havia duas hipóteses para completar a dupla de centrais com Otamendi: Ronaldo e Abdoulaye.

A aposta do treinador recaiu no inexperiente senegalês e, para quem ainda tinha dúvidas, ficou definitivamente esclarecido: Rolando é uma carta fora do baralho “azul e branco”. A aposta em Abdoulaye foi de risco, mas correu bem. O central africano acabou por não ter muito trabalho e mostrou eficiência. Quanto ao resto, nada de novo. Defour vestiu a pele de Fernando, Lucho e Helton recuperaram para alívio dos portistas.

No outro lado, para Oleg Blokhin, era o tudo ou nada. O treinador sabia que apenas uma vitória permitiria ao Dínamo manter-se na luta pelos dois primeiros lugares e o experiente técnico surpreendeu. Na baliza, o veterano Shovkovskiy perdeu o lugar para o jovem Koval, mas as grandes novidades estavam no ataque: Marco Ruben e Milevskyi estrearam-se como titulares na Liga dos Campeões. O nigeriano Ideye Brown, que marcou no Dragão e já leva 12 golos esta temporada em jogos oficiais, ficou no banco. O tiro de Blokhin falhou o porta-aviões portista.

Vítor Pereira deixou claro na antevisão da partida que o FC Porto não ia jogar para o empate, mas nos primeiros minutos os portistas foram encostados às cordas. Apesar de não conseguirem criar oportunidades de perigo, os ucranianos colocaram Abdoulaye e companhia sob forte pressão e apenas aos 16’, com um remate de Jackson, o FC Porto chegou à baliza de Koval.

A partir desse momento, o Dínamo começou a perder gás e os “azuis e brancos” cresceram. A primeira parte foi, no entanto, demasiado enfadonha e a monotonia apenas foi quebrada aos 35’: centro perfeito de James e Jackson, de cabeça, obrigou Koval à primeira grande defesa da noite.

A segunda parte começou com o FC Porto por cima. Aos 50’, James voltou a desequilibrar e, com um passe teleguiado, isolou Varela. O remate saiu a meia dúzia de centímetros do poste. Os ucranianos emendaram, então, o erro inicial. Saíram os amorfos Milevskyi e Ruben, entraram Haruna e Brown em campo, o Dínamo assumiu o controlo e Yarmolenko, aos 67’ e 70’, quase marcou.

Depois, pouco mais. Os portistas não queriam arriscar o que quer que fosse, o Dínamo tinha poucos argumentos. Com este resultado, os portistas estão nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, o Dínamo com pé e meio na Liga Europa.

Ficha de jogo
Dínamo Kiev, 0
FC Porto, 0

Jogo no Estádio Olímpico, em Kiev.
Espectadores cerca de 35.000

Dínamo Kiev Koval, Betão, Mikhalik, Khacherid, Taiwo, Vukojevic (Kranjcar, 87'), Miguel Veloso, Yarmolenko, Milevskiy (Haruna, 58'), Marco Ruben (Ideye Brown, 66') e Gusev.
Treinador Olexiy Mykhaylychenko.

FC Porto Helton, Danilo, Otamendi, Abdoulaye, Mangala, Defour (Castro, 79'), Lucho, João Moutinho, Varela (Christian Atsu, 75'), Jackson Martínez e James Rodríguez (Kléber, 90+1').
Treinador Vítor Pereira.

Árbitro Alberto Mallenco (Espanha).
Amarelos Vukojevic (20'), Milevskiy (42'), Abdoulaye (70').

Notícia actualizada às 22h19