PÚBLICO divulga lista dos cursos superiores que terão de encerrar

Foto: Rui Gaudêncio
Foto
Foto: Rui Gaudêncio

O processo de avaliação dos cursos do ensino superior pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) deu prioridade àqueles que apresentavam piores indicadores. Este facto justifica os resultados da primeira fase do trabalho daquele organismo, que mandou fechar 107 formações nas universidades e institutos politécnicos nacionais, cerca de um quarto do total dos casos analisados.

Esta análise envolve cursos de licenciatura, de mestrados e de doutoramento.

A Universidade Lusófona é a instituição com mais cursos em risco: são 20 os que não foram acreditados, dez dos quais em Lisboa e os restantes dez no Porto. O administrador da Universidade Lusófona, Manuel Damásio, disse neste domingo, em declarações à Lusa, que muitos dos cursos que não foram acreditados pela agência “já não funcionavam, na prática, há anos”.

A lista apurada a partir da base de dados pesquisável é a que se segue. Para confirmar a situação de outras formações que não constam desta lista, é recomendável que se faça a busca através da ferramenta online disponibilizada pela agência.

À frente do nome de cada curso encontra-se uma legenda que se refere ao grau atribuído no fim do ciclo de estudos: (L) para licenciado; (M) para mestre e (D) para doutor.

Universidade dos Açores

Ciências da Engenharia Civil (L)


Estudos Portugueses (D)


Universidade do Algarve

Física (D)


Universidade de Aveiro

Medicina (M)


Universidade da Beira Interior

Arquitectura (D)


Letras (D)


Universidade de Évora

Física (D)


Psicologia (D)


Universidade da Madeira

Letras (D)


Engenharia Civil (D)


Ciências do Desporto (D)


UTAD

Direcção de Comunicação Empresarial (D)


Gestão (D)


Arquitectura (D)


IP Beja

Escola Superior de SaúdeMestrado de Enfermagem em Saúde Comunitária (M)

IP Beja

Escola Superior de Tecnologias e GestãoSolicitadoria (L)

Instituto Piaget

Escola Superior de Educação de ArcozeloAdministração e Gestão Escolar (M)
Ensino Educação Musical no Ensino Básico (M)

Instituto Piaget Viseu

Psicologia do Desenvolvimento e da Educação (M)


Psicologia Clínica e da Saúde (M)


Instituto Piaget Almada

Psicologia do Desenvolvimento e da Educação (M)


Instituto Piaget Santo André

Gestão de Recursos Humanos (M)


Escola Superior de Saúde Piaget Gaia

Ciências da Enfermagem


Escola Superior de Saúde Piaget Nordeste

Ciências da Enfermagem


Escola Superior de Saúde Piaget Algarve

Ciências da Enfermagem


CESPU

Escola Superior de Saúde do Vale do SousaEnfermagem Oncológica (M)
Enfermagem Comunitária (M)
Enfermagem de Reabilitação (M)

CESPU

Instituto Superior Ciências da Saúde – NorteCiências Forenses e Criminais (L)
Ciências Forenses (M)

CESPU Bragança

Psicologia (L)


Ensinus

Economia (L)


Universidade Portucalense

Educação (D)


Gestão (D)


Estudos de Solicitadoria (M)


Informática (D)


Estudos em Direito (D)


Escola Universitária de Artes de Coimbra (ARCA)

Ensino de Artes Visuais (M)


Ensino Educação Visual e Tecnológica (M)


Universidade Lusófona

Ensino de Biologia e Geologia (M)


Ensino de Física e Química (M)


Ciência Política (D)


Ciências Dermato-cosméticas (M)


Cuidados Continuados Integrados (M)


Ensino de Filosofia (M)


Ensino de História e Geografia (M)


Ciências Aeronáuticas (L)


Psicologia do Trabalho em Contextos Internacionais e Interculturais (M)


Psicologia da Educação (M)


Universidade Lusófona Porto

Ciência Política, Cidadania e Relações Internacionais (D)


Ciências da Educação – Educação e Bibliotecas (M)


Solicitadoria (L)


Direito (M)


Marketing e Publicidade (M)


Ciências Aeronáuticas (L)


Economia (L)


Psicologia Forense (M)


Psicologia Clínica e da Saúde (M)


Arquitectura (M)


Fundação Fernando Pessoa

Biotecnologia e Saúde (D)


Enfermagem (M)


ISAL

LisboaContabilidade e Finanças (L)

ISLA

LeiriaPsicologia Social e Organizacional (M)
Psicologia (L)

ISLA

GaiaPsicologia (L)
Psicologia da Educação (M)

Escola Universitária Vasco da Gama

Arquitectura (M)


Universidade Lusíada

FamalicãoEconomia (D)

Instituto Superior de Novas Profissões

Comunicação Pública e Autárquica (L)


Jornalismo (L)


Instituto Superior de Ciências Educativas

Ensino do 1º. e do 2º. Ciclo do Ensino Básico (M)


Educação Pré-escolar e Ensino do 1º. Ciclo do Ensino Básico (M)


Instituto Superior de Ciências Educativas

FelgueirasEducação Musical (L)
Inglês/Espanhol (L)
Ensino do 1.º ciclo do Ensino Básico (M)
Educação Pré-Escolar (M)

Instituto Superior de Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial (L)*


Comunicação Empresarial (M)*


* Os cursos referidos não foram acreditados como formações universitárias. Porém, após recurso, a A3ES foi informada de que a instituição requereu, junto do Ministério da Educação e Ciência, apassagem a escola de ensino superior politécnico; por essa razão, a mesma agência acabou por acreditar ambos os cursos, de forma condicionada, pelo período de um ano, como ciclos de estudo de ensino politécnico. Ver mais
aqui.

Instituto Superior D. Afonso III

Psicologia Clínica (M)


Multimédia (L)


Psicologia (L)


Ensino de Educação Física nos ensinos Básico e Secundário (M)


Gestão de Recursos Humanos (M)


Instituto Superior De Ciências Da Saúde Egas Moniz

Segurança Alimentar e Saúde Pública (M)


Psicologia Forense e Criminal (M)


Universidade Autónoma De Lisboa Luís De Camões

Economia (D)


Psicologia (D)


Universidade Atlântica

Ambiente, Território e Desenvolvimento Sustentável (M)


Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes

Solicitadoria


Psicologia


Instituto Superior D. Dinis

Solicitadoria (L)


Instituto Superior de Administração e Gestão

Desenvolvimento de Destinos Turísticos (M)


Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos

Design


Instituto Superior de Ciências Empresariais E Do Turismo

Marketing e Comércio Internacional (M)


Instituto Superior de Entre Douro E Vouga

Solicitadoria (L)


Escola Superior de Saúde Egas Moniz

Envelhecimento - Promoção da Saúde/Prevenção da Doença


Escola Superior de Saúde Ribeiro Sanches

Radiologia e Imagiologia


Como o PÚBLICO noticiou na sábado, há cerca de três anos, a A3ES começou a avaliação doo ensino superior, recolhendo indicadores que lhe permitiram ter uma primeira noção da forma como as formações estavam a ser conduzidas. Depois de uma primeira fase em que desapareceram cerca de 800 licenciaturas, mestrados e doutoramentos com problemas já identificados, por iniciativa das instituições a agência ficou ainda com uma amostra de 850 formações com indicadores negativos.

“Voltamos a falar com as universidades para perceber o que podia ser feito”, conta alberto Amaral. Depois de uma nova fase de encerramento de cursos, sobraram os 420 agora analisados. O presidente da A3ES justifica também uma sobre-representação das instituições de ensino superior privadas nesta lista pelo facto de ter havido “maior rigor” do sector público na fase de encerramento voluntário dos cursos.

Segundo Alberto Amaral, os restantes 3000 cursos que ainda não têm avaliação definitiva, tiveram uma aprovação preliminar, com base nos primeiros indicadores recolhidos. A análise das condições de funcionamento dessas formações vai ser agora prolongada ao longo dos próximos cinco anos, à razão de cerca de 700 cursos anuais avaliados pela A3ES. Nesta nova fase, o responsável espera ter melhores resultados, reduzindo a percentagem de cursos “chumbados” para valores residuais.

Quanto aos 420 cursos já avaliados, 45 não merecem reparos, enquanto 242 foram “aprovados preliminarmente”, merecendo considerações da A3ES que devem ser corrigidas a breve prazo. Já os 107 cursos encerrados, têm agora dois anos para serem encerrados, deixando de admitir novos alunos e mantendo-se apenas em funcionamento para quem quiser conclui-los. Mas os estudantes podem optar por pedir transferência para outras formações dentro da instituição que frequentam ou mesmo numa outra.

O encerramento do curso pela não acreditação tem por base o não cumprimento das normas legais aplicadas ao sector do ensino superior, entre os quais a qualificação do corpo docente tem particular relevado, havendo obrigatoriedade de um número mínimo de professores com doutoramentos e de um número máximo de docentes a tempo parcial nas instituições.