Lisboa

Merkel vai reunir-se com Passos Coelho e Cavaco Silva

Merkel e Passos Coelho encontram-se em Lisboa, a 12 de Novembro
Foto
Merkel e Passos Coelho encontram-se em Lisboa, a 12 de Novembro Tobias Schwarz/Reuters (arquivo)

A chanceler alemã, Angela Merkel, vai estar em Portugal, a 12 de Novembro, para uma visita que pretende mostrar a solidariedade, confiança e apoio, por parte da Alemanha, aos esforços de Portugal no cumprimento do programa de ajustamento assinado com a troika, nas palavras de uma fonte oficial citada pela Lusa.

A visita, ainda que curta, é considerada de alto risco e está a ser preparada pelas forças e serviços de segurança em Portugal.

Durante a manhã, Merkel vai encontrar-se com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e com o Presidente da República, Cavaco Silva. A tarde está reservada para uma visita à Autoeuropa, em Palmela, com Passos Coelho, e para uma conferência de investidores, que decorrerá no Centro Cultural de Belém (CCB).

Segundo a mesma fonte, o fórum vai ser aberto com os discursos da chanceler e do primeiro-ministro e contará com a presença dos dois ministros de Estado, Vítor Gaspar e Paulo Portas. O fórum é visto como “uma oportunidade para fomentar e reforçar as relações económicas” e, por isso, vão participar empresas alemãs com representação em Portugal, como Volkswagen, Siemens, Bosch e BASF.

No âmbito da visita vai também ser anunciada a concessão de 100 bolsas de estágio para licenciados portugueses, na Alemanha, sobretudo para áreas técnicas, de engenharia e novas tecnologias.

A possível aplicação, em Portugal, do sistema dual de formação profissional alemão, que pretende que um jovem aprenda qualificações teóricas enquanto pratica essa teoria em contexto de trabalho nas empresas, tem sido um dos temas abordados nas várias reuniões mantidas entre o ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, e o seu homólogo alemão, Philipp Rösler.

O governante português salientou a importância da formação e do ensino técnico-profissional como forma de aumentar a empregabilidade e a qualificação e referiu que o Governo quer alargar, ainda este ano, o sistema dual de aprendizagem.