Há vida em Santo Tirso e chamam-lhe Santo Thyrso

Fábrica de Santo Thyrso recebe Seminário Internacional de Quarteirões Culturais, inaugura Nave Cultural e mostra potencialidades de incubadora de moda

Seminário inclui exposição da estilista brasileira Zuzu Angel DR
Fotogaleria
Seminário inclui exposição da estilista brasileira Zuzu Angel DR
DR
Fotogaleria
DR

Entre esta quinta-feira, 25 de Outubro, e até sábado, Santo Tirso acolhe o Seminário Internacional "Quarteirões Culturais: experiências e desafios". Este será o primeiro evento da Nave Cultural da Fábrica de Santo Thyrso e será, também, a primeira iniciativa oficial da incubadora de moda iMOD.

Sendo uma antiga unidade de indústria têxtil, a Fábrica de Fiação e Tecidos de Santo Thyrso é hoje um espaço aproveitado pela Câmara Municipal de Santo Tirso para combater o desemprego. A autarquia iniciou um processo de recuperação da Fábrica, transformando-a num quarteirão cultural, vocacionado, sobretudo, para a área da moda.

A primeira fase da obra arrancou em 2009, com a entrada em funcionamento da Incubadora de Base Tecnológica, que hoje acolhe 14 empresas.

Foto
Fábrica de Santo Thyrso é hoje um quarteirão cultural DR

A segunda fase tem início esta quinta-feira, 25 de Outubro, com a inauguração da Nave Cultural. Este espaço representa um investimento de 2 milhões e 170 mil euros, terá 2200 metros quadrados e vai receber eventos como exposições, concertos e peças de teatro, e inclui, ainda, um Centro Interpretativo de memória têxtil.

Foto
O desfile dos estudantes finalistas da ESAD acontece dia 26 de Outubro DR

O primeiro evento oficial desta Nave Cultural será o Seminário Internacional "Quarteirões Culturais: experiências e desafios", que decorre entre 25 e 27 de Outubro. Em declarações ao P3, o autarca de Santo Tirso, Castro Fernandes, explica que este evento tem como objectivo "atrair potenciais investidores na zona e dinamizar o tecido industrial da cidade".

Elisa Babo, administradora da Quaternaire Portugal, entidade que está a organizar o seminário, considera que o evento pretende, também, "ser um espaço de debate e de participação de Santo Tirso para uma reflexão nacional sobre as questões da regeneração urbana e da cultura". Assim, o seminário inclui uma série de conferências, apresentações e estudos de caso de quarteirões culturais internacionais, e ainda workshops e visitas de estudo a locais como as Galerias Miguel Bombarda, no Porto.

A entrada no Seminário Internacional "Quarteirões Culturais: experiências e desafios" tem um preço de 10 euros para o público geral e 5 euros para os estudantes.

iMOD: uma incubadora de moda

O programa do Seminário Internacional "Quarteirões Culturais: experiências e desafios" inclui, ainda, dois eventos, ambos marcados para sexta-feira, 26 de Outubro: o desfile "Finalistas da ESAD & Portuguese Fashion News - Concurso de Novos Criadores" e a inauguração da exposição "Raízes do Brasil através da Moda", dedicada à estilista brasileira Zuzu Angel.

Com o quarteirão cultural dirigido, sobretudo, para a moda, Castro Fernandes afirma que este seminário também vai servir para "divulgar as capacidades e as potencialidades destas indústrias criativas", referindo-se à incubadora de moda que a Fábrica de Santo Thyrso vai acolher.

A iMOD é a terceira fase do projecto do quarteirão cultural, terá uma área de 3400 metros quadrados e implicou um investimento de cerca de 4 milhões de euros. A sua entrada em funcionamento está prevista para o primeiro semestre de 2013.

Segundo Elisa Babo, numa fase inicial prevê-se que esta incubadora seja a casa de cerca de 10 empresas, podendo, no entanto, crescer e acolher projectos "de outras artes e de comunicação, mas que façam articulação com designers de moda".

Este "espaço destinado a apoiar o crescimento de empresas do sector da moda vai ser complementado com a formação académica", refere Castro Fernandes. Nesse sentido, a Fábrica de Santo Thyrso estabeleceu uma parceria com a Escola Superior de Arte e Design (ESAD) de Matosinhos. A iMOD será, assim, o local escolhido para o Mestrado de Moda da ESAD e vai ter um espaço de formação para os trabalhadores ligados à incubadora.