Até Setembro

Lucros da Jerónimo Martins cresceram 6,2%

A dona do Pingo Doce é controlada em 56,1 do capital pela Sociedade Francisco Manuel dos Santos
Foto
A dona do Pingo Doce é controlada em 56,1 do capital pela Sociedade Francisco Manuel dos Santos Pedro Elias

O grupo Jerónimo Martins (JM), que detém os supermercados Pingo Doce, registou lucros de 272 milhões de euros nos nove primeiros meses do ano, mais 6,2% do que no mesmo período do ano passado. A maior contribuição vem da cadeia polaca Biedronka.

Entre Julho e Setembro, os lucros do grupo cresceram 4,2%, para 120 milhões de euros, de acordo com resultados divulgados nesta quinta-feira.

As vendas do grupo aumentaram tanto na Polónia como em Portugal, onde o consumo interno está a cair. Nos nove primeiros meses do ano, atingiram 7954 milhões de euros, mais 8,7% do que no período homólogo. Deste valor, 2846 milhões foram registados no terceiro trimestre.

As vendas do Pingo Doce aumentaram 3,6% nos primeiros nove meses do ano e 2,5% entre Julho e Setembro, graças à abertura de cinco novas lojas. Tendo em conta o mesmo número de supermercados que a cadeia da Jerónimo Martins tinha há um ano, o desempenho do Pingo Doce caiu 0,8%, "reflectindo a crescente queda do consumo em geral", sublinha a empresa. As promoções semanais da cadeia de supermercados não se traduziram em aumento de receitas e o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, provisões e depreciações) gerado nos primeiros nove meses do ano registou uma redução de 11,2%, cifrando-se em 155,5 milhões de euros.

O Pingo Doce, que este ano protagonizou uma campanha promocional inesperada que levou uma corrida às lojas no 1.º de Maio, representa 28,5% das vendas de toda a Jerónimo Martins.

A principal contribuição para os resultados do grupo nos nove primeiros meses do ano, sublinha a JM, vem da Biedronka, que teve um aumento das vendas de 17,6%, em moeda local. No terceiro trimestre, abriu mais 66 lojas,

A cadeia polaca representa cerca de 61% das vendas da JM e mais de dois terços dos resultados do grupo.

Em 2012, o investimento previsto pelo grupo ronda 650 milhões de euros, “cerca de 80% dos quais a serem investidos na Polónia” (327 milhões de euros investidos alocados à Biedronka até Setembro).

Em Portugal, o grupo investiu nos nove primeiro meses do ano cerca de 38 milhões de euros, a maioria “no negócio da distribuição alimentar”.

Notícia actualizada às 12h00

Inclui vendas do Pingo Doce em comparação com período homólogo tendo em conta o mesmo número de lojas