Fórmula 1

Sebastian Vettel venceu o GP da Coreia e é o novo líder do mundial

Vettel, campeão do Mundo em 2010 e 2011, lidera agora o Mundial, com 215 pontos, mais seis do que o Alonso
Foto
Vettel, campeão do Mundo em 2010 e 2011, lidera agora o Mundial, com 215 pontos, mais seis do que o Alonso Jung Yeon-Je/AFP (Arquivo)

O alemão Sebastian Vettel (Red Bull) assumiu este domingo a liderança do mundial de pilotos de Fórmula 1, destronando o espanhol Fernando Alonso (Ferrari), ao vencer o Grande Prémio da Coreia do Sul, 16.ª prova da temporada.

Vettel partiu da segunda posição da grelha e ultrapassou o australiano Mark Webber (Red Bull) na primeira volta ao circuito de Yeongam, concluindo a corrida em 1h36m28,651s, menos 8,2 segundos que o companheiro de equipa, enquanto Alonso , campeão em 2005 e 2006, foi terceiro, a 13,9 segundos do alemão.

O campeão do Mundo em 2010 e 2011 lidera agora o Mundial, com 215 pontos, mais seis do que o Alonso, que liderava a classificação desde a oitava corrida da temporada, enquanto o finlandês Kimi Rainkkonen, este domingo quinto na Coreia do Sul, surge no terceiro posto, a 48 pontos do topo.

Após a corrida, Vettel, que persegue o terceiro título mundial consecutivo, tal como conseguiram Juan-Manuel Fangio e Michael Schumacher, justificou o sucesso com o bom início da corrida.

“O arranque foi decisivo. Não estava muito seguro com a partida, porque estava no pior lado da grelha, mas fui capaz de conseguir boa aderência e entrar por dentro na primeira curva”, explicou Vettel, depois de ter conquistado o quarto triunfo da época, o terceiro consecutivo.

Apesar da segunda posição na corrida, Webber, que ocupa o quinto lugar no mundial, disse ter ficado desiludido com o seu arranque, depois de ter conseguido a “pole position”.

“O arranque inicial não foi bom. Houve alguma rotação nas rodas e eu percebi que ia ter problemas aí. Foi muito medíocre”, referiu o australiano.

Além da luta pelos primeiros lugares, a corrida coreana ficou ainda marcada pela manobra de Kamui Kobayashi (Sauber) que, logo na volta inaugural, retirou de prova o britânico Jenson Button (McLaren) e o alemão Nico Rosberg (Mercedes) e levou ainda ao abandono do japonês, durante a sua 16.ª volta.

Kobayashi, a quem Button chamou de “idiota” numa comunicação com a sua equipa após ter sido atingido pelo monolugar do japonês, acabou por lamentar a situação.

“Foi um erro meu na partida. Peço desculpa ao Jenson, ao Nico e também à minha equipa”, escreveu Kobayashi na rede social Twitter na Internet.

Após a corrida, Button, actualmente sexto no mundial, admitiu que as suas aspirações a reconquistar o título terminaram, tendo ainda lamentado a atitude de Kobayashi.

“É extremamente decepcionante. Esta é uma corrida longa, com muitas oportunidades de ultrapassagem para todos, por isso foi surpreendente este comportamento logo na primeira volta”, sublinhou o campeão do Mundo em 2009.

Quando faltam quarto corridas para o final da temporada, o Mundial de construtores continua a ser liderado pela Red Bull, com 367 pontos, à frente da Ferrari, que conta 290, e da McLaren, com 284.

Sugerir correcção