Orçamento para 2013

Governo pondera aumento do IRS maior na classe média que nos rendimentos mais altos

Foto
Foto: Laura Haanpaa (arquivo)

Uma proposta preliminar para o Orçamento do Estado preparada pelo Governo avança com alterações dos escalões e das taxas de IRS que afectam de forma mais acentuada os contribuintes com um rendimento próximo da média nacional do que aqueles que têm rendimentos mais elevados.

A proposta ainda pode vir a ser alterada até à data de entrega da sua entrega na Assembleia da República, marcada para segunda-feira ao início da tarde.

De acordo com as simulações feitas para o PÚBLICO pela consultora PwC, a generalidade dos agregados familiares portugueses irão ver a sua factura de IRS aumentar substancialmente no próximo ano.

O ministro das Finanças já tinha aliás anunciado que se iria registar um aumento da taxa média efectiva do IRS em Portugal de 9,8% para um valor acima dos 13%. Ou seja, que em média, os portugueses iriam sofrer um agravamento deste imposto na ordem dos 30%. Vítor Gaspar disse ainda que as alterações a efectuar nos escalões (com redução de oito para cinco) e nas taxas, levariam a que o imposto ficasse com uma característica mais acentuada de progressividade (em que os mais ricos são relativamente mais tributados do que os mais pobres).

Leia mais na edição impressa de hoje do PÚBLICO ou na edição digital exclusiva para assinantes