O negócio é o conteúdo

Amazon não lucra com vendas dos novos Kindles

Jeff Bezos com os mais recentes tablets da Amazon
Foto
Jeff Bezos com os mais recentes tablets da Amazon Spencer Platt/AFP

A Amazon não lucra com as vendas do novo leitor de livros electrónicos Kindle Paperwhite e do tablet Kindle Fire HD, admitiu o director executivo da empresa, Jeff Bezos.

Numa entrevista à BBC, Bezos disse que a Amazon vende os novos dispositivos “a preço de custo, por isso, ao nível do hardware, o retorno do investimento é igual ao montante investido”.

Diferenciando-se da Apple, que tem lucro cada vez que vende um iPhone ou um iPad, a Amazon prefere lucrar com o conteúdo.

A estratégia passa então por vender aos consumidores leitores electrónicos ou tablets ao preço mais baixo possível. À partida, os clientes só compram os aparelhos uma vez, mas, depois, compram livros ou vídeos na Amazon vezes sem conta. O lucro que a Amazon não teve na venda dos dispositivos é compensado pelos lucros nas vendas de conteúdos.

A abordagem de vender a preço de custo para atrair clientes e ganhar a liderança no mercado tem vindo a ser seguida com sucesso pela Amazon. Até porque, segundo Bezos, aqueles que possuem um Kindle têm maior apetite pela leitura. “Descobrimos que quando as pessoas compram um Kindle lêem quatro vezes mais do que liam antes de terem o Kindle,” garante.

Já havia algumas suspeitas sobre se a Amazon estaria ou não a recorrer a esta prática. Em Novembro de 2011, alguns media americanos noticiaram que a Amazon perdia, propositadamente, dinheiro com cada Kindle Fire vendido.

De acordo com a empresa de pesquisa de mercado iSuppli, o custo total de produção de um Kindle Fire era de aproximadamente 202 dólares (cerca de 156 euros), mas o aparelho era vendido nos EUA a 199 dólares. Actualmente, o preço está nos 159 dólares e o novo Kindle Fire HD, lançado no início de Setembro, custa 199 dólares. Os preços variam nos outros mercados e, em Portugal, nenhum destes modelos está disponível.