Recursos hídricos

Alijó aplica plano para poupança de água devido à seca severa

Estas medidas visam garantir a normal continuidade do abastecimento de água
Foto
Agregação de sistemas de abastecimento de água em alta foi levada a cabo pelo anterior Governo Pedro Cunha

A Câmara de Alijó está a implementar um plano de contingência devido à seca, cortando nos gastos de água nas regas de jardins e fontes e apelando à população para uma racionalização dos consumos.

As chuvas que caíram no Douro neste início de Outono não chegaram para repor os níveis normais de água na albufeira de Vila Chã, localizada no concelho de Alijó, distrito de Vila Real.

Precisamente por causa da falta de precipitação que se registou nos últimos meses, a autarquia alertou nesta quinta-feira para um cenário de “seca severa”.

Nesse sentido, o município, liderado pelo socialista Artur Cascarejo, está a colocar em prática um plano de contingência que tem como objectivo precaver situações que, no limite, podem levar a eventuais falhas no abastecimento de água.

A autarquia está a cortar nos consumos, nomeadamente na redução da quase totalidade das regas de jardins, fontes e demais serviços municipais.

Está também a ser feito um apelo à população, através da distribuição, pelos CTT, de desdobráveis com conselhos de poupança, e ainda através das juntas de freguesias e dos padres, que na hora da missa irão alertar também para o uso mais sensato deste bem.

O objectivo é “sensibilizar, aconselhar e alertar a população para a importância da redução do consumo de água”.

Estas medidas e alertas visam, de acordo com a autarquia, “garantir a normal continuidade do abastecimento de água às populações, procurando estimular a redução do consumo, de modo a não se atingir um ponto de ruptura no sistema que impedisse o normal abastecimento de água”.