DR
Foto
DR

Megafone

São urgentes as novas consolas?

Uma nova consola terá obrigatoriamente que custar mais do que as actuais. Será que o consumidor estará disposto a investir num período tão conturbado?

A indústria parece movimentar-se no sentido do aparecimento de novas consolas que se distingam como uma evolução às actuais. Com o lançamento da Wii U em Novembro, abre-se uma janela de oportunidade para o surgimento de uma nova Playstation e de uma nova Xbox?

Os motivos para a necessidade de novas consolas decorrem da indústria dos videojogos considerar que esta geração de consolas já ter dado tudo o que tinha para dar. É perfeitamente normal que as principais empresas já estejam a testar novo "hardware" e novas formas de cativar mais jogadores, mas o "timing" pode não ser o ideal.

Com o naipe de jogos que ainda irão sair para as consolas actuais, torna-se uma certeza que esta geração de consolas ainda terá algo para dar. A passagem do tempo e o lançamento de múltiplos videojogos deu uma maior percepção à indústria que ainda havia algo por fazer e permitiu-lhe aperfeiçoar as suas técnicas e o domínio desta geração de consolas.

Preço elevado

Outro facto: as consolas ainda têm um preço algo elevado para o nível de vida actual (não só no nosso país como no mundo) e a economia não tem dado grandes sinais de melhoria imediata. Por isso, uma nova consola terá obrigatoriamente que custar mais do que as actuais. Será que o consumidor estará disposto a investir num período tão conturbado?

A sede de lucros pode tornar a indústria mais receptiva à produção de novas consolas. O director-geral da Ubisoft, Yves Guillemot, afirma que deveria chegar ao mercado uma nova consola em cada cinco anos. Mas as condições económicas não permitem que quer a indústria quer os consumidores possam investir tanto no entretenimento.

A quantidade de títulos com uma qualidade potencial (como por exemplo The Last of Us, Watch Dogs, Beyond Two Souls ou Dishonored) muito elevada que foram mostrados nos últimos eventos mundiais dos videojogos dão a percepção que apenas nos últimos anos as principais produtoras têm dominado na perfeição esta geração de consolas. Por isso, será que existe essa necessidade premente do lançamento de novas consolas?