Austeridade

CGTP diz que concentração é a “resposta imediata” ao pacote de austeridade

Arménio Carlos acusa o Governo de “afundar o país”
Foto
Arménio Carlos acusa o Governo de “afundar o país” Foto: Nuno Ferreira Santos

O secretário-geral da central sindical CGTP disse esta quinta-feira que a concentração que está a decorrer desde as 18h junto à residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa, é a “resposta imediata” ao pacote de austeridade anunciado na quarta-feira.

O Governo “não tem o controlo da situação” e “está a afundar o país”, acrescentou Arménio Carlos em declarações aos jornalistas enquanto decorria a concentração que, pelas 18h40, reunia duas centenas de pessoas.

“Hoje é aqui, amanhã será em Braga, Coimbra e noutras cidades”, afirmou o dirigente sindical, referindo-se à “Marcha Contra o Desemprego” promovida pela CGTP nos próximos dias.

Os manifestantes foram obrigados a permanecer a cerca de uma centena de metros do edifício, pelo que se encontram atrás de um gradeamento colocado pelas autoridades na rua Borges Carneiro, em Lisboa.

Na principal faixa que os manifestantes exibem lê-se: “Passos/Troika rua!”.

No local estão cerca de duas dezenas de polícias.