“Vice” de Isaltino Morais candidata-se a Oeiras nas próximas autárquicas

Cerimónia ficou marcada pela ausência de Isaltino, mas o Paulo Vistas diz estar certo de que terá o seu apoio
Foto
Cerimónia ficou marcada pela ausência de Isaltino, mas o Paulo Vistas diz estar certo de que terá o seu apoio Miguel Madeira

Paulo Vistas apresentou hoje a sua candidatura à Câmara de Oeiras nas autárquicas de 2013 pelo movimento independente Isaltino Oeiras Mais à Frente e prometeu dar continuidade ao trabalho do actual presidente, Isaltino Morais.

“Sou candidato porque tenho o privilégio de integrar um movimento independente de agendas políticas e interesses partidários e, na minha agenda estão apenas os habitantes de Oeiras e as suas prioridades”, afirmou Paulo Vistas no seu discurso numa cerimónia marcada pela ausência de Isaltino Morais. “Sou candidato porque em Oeiras, talvez fruto do desenvolvimento que o município goza, a própria comunidade uniu-se em torno deste projecto. Sou candidato porque acredito em continuar a obra de referência que se construiu em Oeiras.”

Paulo Vistas esteve acompanhado de figuras como João Lagos, o actor Vítor Espadinha, o cantor Carlos Alberto Moniz e os ex-atletas Rosa Mota e Carlos Lopes.

“Não sei por que é que ele [Isaltino Morais] não está aqui. Certamente ficou a tomar conta da casa [a câmara]”, disse Paulo Vistas, admitindo depois em declarações à agência Lusa que a ausência do autarca hoje não o afecta porque “tem a certeza que conta com o seu apoio”.

Paulo Vistas deixou ainda em aberto o papel que poderá ter Isaltino Morais na sua candidatura, não rejeitando a hipótese de ser candidato à Assembleia Municipal.

“É uma hipótese. Tem de ser discutido, tem de ser pensado, mas ele estará certamente dentro deste projecto”, frisou.

Sobre o processo jurídico que nas últimas eleições marcou as campanhas eleitorais de Isaltino Morais, o novo candidato pelo movimento independente Isaltino Oeiras Mais à Frente mostrou-se seguro sobre o desfecho dessa questão.

Isaltino Morais venceu as eleições de 2005, meses depois de já ter sido constituído arguido num processo relacionado com contas bancárias na Suíça (não declaradas ao Fisco nem ao Tribunal Constitucional) e também num banco de Bruxelas, entre Março de 1994 e Abril de 2001.

O autarca foi eleito pela primeira vez presidente da Câmara de Oeiras em 1985. Chegou a recolher 55% dos votos numa eleição e em 2009, já condenado, obteve mais votos do que quando estava apenas acusado.

Em 2009 Isaltino Morais foi condenado a sete anos de prisão e a perda de mandato por fraude fiscal, abuso de poder e corrupção passiva para acto ilícito e branqueamento de capitais.

“Não assombrou em 2005, nem em 2009 e não irá assombrar esta candidatura em 2013. Da política o que é da política e da Justiça o que é da Justiça”, afirmou o candidato.

Além de Paulo Vistas, também Francisco Moita Flores assumiu já o seu interesse em candidatar-se à Câmara de Oeiras.

“Espero que se apresentem bons candidatos a Oeiras” disse Paulo Vistas, concluindo que Moita Flores não é um adversário “temível”.

Paulo Vistas é vice-presidente da Câmara de Oeiras há dois mandatos, tendo sido eleito pela primeira vez em 2005, na primeira eleição de Isaltino Morais como independente, com o movimento que fundou, Isaltino – Oeiras Mais à Frente.