Teatro Elinga em Luanda tem os dias contados

O edifício vai ser demolido para dar lugar ao projecto imobiliário Elipark
Foto
O edifício vai ser demolido para dar lugar ao projecto imobiliário Elipark Reuters

O edifício sede do teatro Elinga, em Luanda, que para além de acolher a companhia de teatro do mesmo nome, se transformou num verdadeiro pólo cultural da capital angolana, vai ser demolido. O edifício, construído por portugueses no século XIX, foi considerado como “testemunho histórico do passado colonial” em 1981, vindo a ser desclassificado pelo Ministério da Cultura angolano no final de Abril. O edifício vai agora ser demolido para dar lugar ao projecto imobiliário Elipark, constituído por um parque de estacionamento, escritórios e um moderno hotel.

Um dos fundadores do teatro Elinga, o actor Orlando Sérgio, lamenta o acontecimento, pelos “laços afectivos” e pela descaracterização progressiva da baixa da cidade – “o edifício e a forma como era vivido acabam por dar uma característica muito própria à baixa da cidade” afirma, “assim, qualquer dia, Luanda será igual a tantas outras cidades.”

Orlando Sérgio, e outras personalidades da vida cultural angolana, defendem que é possível a coabitação entre dois tipos de arquitectura, uma resultante do passado e outra mais recente, que se tem vindo a expandir, segundo os críticos, nos pressupostos da especulação imobiliária.

Para além do edifício, perde-se também um pólo cultural de características únicas, por onde passam regularmente artistas plásticos, bailarinos ou músicos, e onde se realizam diversos eventos ligados à arte e cultura. “Para além de existir uma informalidade nas relações ali que não se sente em mais nenhum lugar em Luanda”, afirma Orlando Sérgio.

No despacho executivo que fundamentava a decisão, a Ministra da Cultura angolana apontava para a necessidade de implementar o projecto Elipark e de requalificar o conjunto arquitectónico localizado no largo Matadi. Ainda não se sabe onde será a nova casa do teatro Elinga.