Televisão

RTP1 reduz Telejornal para 45 minutos

Ao fim-de-semana o <i>Telejornal</i> será mais longo
Foto
Ao fim-de-semana o Telejornal será mais longo Foto: Enric Vives-Rubio

O Telejornal da RTP1, emitido às 20h, vai passar a ter uma duração máxima de 45 minutos aos dias úteis. A decisão, inédita na informação televisiva nacional, deverá ser concretizada a partir de 8 de Outubro. Os noticiários da noite têm pelo menos uma hora e chegaram mesmo a ser esticados até à hora e meia.

A opção coloca o Telejornal mais perto da filosofia dos blocos noticiosos públicos de países como a França e a Inglaterra. Foi muito discutida, admite o director de Informação da RTP. "Não é mera redução do tempo, mas tem implicações na forma como a informação é escolhida e tratada", diz Nuno Santos, reconhecendo que a selecção terá que ser "mais criteriosa". Alguns dos conteúdos com carácter mais local irão "migrar" para o Portugal em Directo, que será reformatado (18h).

Ao fim-de-semana, o Telejornal mantém uma hora, é apresentado por Cristina Esteves e coordenado por Rita Marrafa de Carvalho. Será ainda criado um novo espaço associado ao noticiário, conduzido por Carlos Daniel.

A redução do Telejornal, que mantém José Rodrigues dos Santos como pivot principal, é compensada com a criação do programa 360, apresentado por João Adelino Faria, que em 15 a 20 minutos analisa em profundidade a notícia que marcou o dia. Poderá ter convidados, reportagens dos correspondentes.

Para Felisbela Lopes, investigadora na área de media, esta estratégia de redução do Telejornal "não serve as audiências" porque os espectadores têm uma "apetência por consumir os noticiários das 20h até acabar, independentemente do alinhamento". No entanto, a docente considera que a RTP1 "corre um risco menor do que as privadas ao fazer esta opção". Porque a seguir ao Telejornal o canal público tem programas de actualidade quase todos os dias, com boas audiências, como o Sexta às 9, lembra.

"A SIC e a TVI não podem abandonar de forma tão fácil os longos alinhamentos da informação porque quando termina o Jornal da Noite (SIC) ou o Jornal das 8 (TVI) fazem um corte temático, e emitem entretenimento logo a seguir." A investigadora considera que hoje "já não se justificam noticiários que se prolongam para depois das 21h" em canais abertos porque os canais informativos do cabo dão, a essa hora, a abordagem aprofundada que boa parte da opinião pública procura.

De acordo com dados do Observatório Europeu do Audiovisual, em 2011, entre seis países analisados, só o noticiário das 20h do canal público espanhol, Telediario 2, foi em média mais longo (60 minutos) do que o português (57 minutos). O Newsnight, da BBC2, durou 45 minutos, enquanto o BBC News do canal 1 britânico se ficou pelos 14. Em França o jornal da noite dos dois canais públicos tem entre 36 e 38 minutos, enquanto na Alemanha o Tagesschau (canal ARD) dura 15 e o Heute (da ZDF) 19 minutos.