Reino Unido

"Tory" acusado de chamar “plebeu” a polícia pede desculpa mas não escapa a críticas

Andrew Mitchell está no cargo há três semanas e já é notícia pelos piores motivos
Foto
Andrew Mitchell está no cargo há três semanas e já é notícia pelos piores motivos Stefan Wermuth/REUTERS

Andrew Mitchell pediu desculpas pelo incidente, mas nega ter chamado “plebeu” a polícia. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, já saiu em sua defesa. Sindicatos da polícia e trabalhistas pedem explicações e a demissão de Mitchell.

“É melhor aprender qual é o seu lugar. Você não manda na merda do governo! Seu plebeu de merda”. São estas as palavras que têm feito correr tinta no Reino Unido e que levantaram uma questão: o que é que os mais altos membros do partido conservador pensam da função pública?

As palavras são atribuídas a Andrew Mitchell, o coordenador da bancada parlamentar conservadora ("tories") do Reino Unido. Tê-las-á dito na quarta-feira, quando tentava passar pelos portões do número 10 de Downing Street (a residência oficial do primeiro-ministro britânico) de bicicleta e lhe foi negada a passagem pelo portão, sendo obrigado a passar por uma porta secundária.´

Os incidentes foram noticiados pelo jornal britânico The Sun, que terá tido acesso a um relatório da polícia de onde retirou as palavras que Mitchell é acusado de ter dito.

O "tory" Mitchell não nega a situação em geral, que ocorreu na quarta-feira, mas sublinha que nunca terá chamado “plebeu” ao polícia em serviço. Esta segunda-feira, em declarações aos media, Mitchell tentou colocar um ponto final no assunto: “Não mostrei à polícia o respeito que ela me merece. Todos devemos respeitar a polícia. Eles fazem um trabalho incrivelmente difícil. Já pedi desculpa à polícia e ao agente em questão, e ele aceitou as minhas desculpas. Espero mesmo que possamos agora fechar o assunto de vez”, disse.

O porta-voz de Cameron fez saber que o primeiro-ministro britânico acha que o mais importante é Mitchell ter reconhecido que esteve mal e ter pedido desculpa ao agente em particular. Para Cameron, isso será o suficiente para fechar o assunto.

Andrew Mitchell foi nomeado por David Cameron para coordenador da bancada parlamentar do Partido Conservador no dia 4 de Setembro de 2012. A sua função é regular e impor a disciplina de voto no grupo parlamentar dos "tories".

Sindicatos e trabalhistas indignados

De acordo com a BBC, o agente da polícia em questão assegura que Mitchell lhe terá mesmo chamado “plebeu”, e o jornalista do The Sun que escreveu a notícia refere que o relatório a que teve acesso foi confirmado por outros dois polícias que se encontravam no local do incidente.

O presidente da Federação da Polícia Metropolitana, John Tully, classificou o comportamento de Mitchell como “deplorável” e disse que o coordenador da bancada parlamentar dos conservadores “teve sorte em não ser detido se de facto disse aquelas palavras, e eu não tenho razões nenhumas para duvidar de que ele o tenha feito”.

Semelhante foi a reacção do líder sindical dos polícias britânicos, Paul McKeever: “É difícil encaixar como é que alguém que tem uma ideia tão má da polícia possa ter um cargo público”. Este caso surge ao mesmo tempo que o Governo de Cameron corta nos custos de financiamento da polícia britânica.

O PartidoTrabalhista também se juntou ao coro de indignação contra Mitchell. O porta-voz dos trabalhistas argumentou que este caso está a ser muito mal explicado e que o número 10 de Downing Street “tem de responder a muitas perguntas”. Sublinhou que o Governo britânico tem de “apurar exactamente o que Andrew Mitchell disse ao agente de serviço”.

Nas redes sociais são várias as pessoas que denunciam o estatuto privilegiado de Mitchell, alegando que se qualquer outra pessoa tivesse insultado um polícia da maneira que Mitchell o terá feito, o mais certo era ser detida imediatamente.

Notícia corrigida às 9h09 de terça-feira dia 25 de Setembro

. Corrige nome do coordenador da bancada parlamentar conservadora