Concertação Social

Governo estuda mais impostos para compensar devolução de subsídio aos funcionários e pensionistas

Foto
Foto: Nuno Ferreira Santos

O Governo afirma que, para compensar a devolução de um subsídio aos funcionários públicos e pensionistas, estão a ser estudados o agravamento da tributação em IRS e também sobre o capital e o património.

Essas medidas serão apresentadas a “muito breve prazo”.

O Governo disse também que vai procurar o consenso dos parceiros para medidas que melhorem a competitividade das empresas e atenuem o desemprego, através da redução de custos de contexto mas que possivelmente não terão impacto de curto prazo.

O Executivo pretendeu criar uma medida virada exlusivamente para as PME, mas não foi bem recebida pelos parceiros sociais. João Proença sintetizou o que saiu da reunião: ficou claro que o Governo deixou cair a TSU, vai devolver "grande parte do 13º e 14º mês da função pública e pensionistas, mas para compensar terão de ser lançados impostos sobre todos os rendimentos e património.

"Isto vai num sentido positivo", afirmou João Proença. A haver mexidas na TSU será apenas de carácter "muito limitado" para estimular o emprego, como um aprofundamento do impulso jovem em vigor desde 1 de Agosto.

Decorreu nesta segunda-feira de manhã uma reunião dos parceiros sociais com o Governo, presidida pelo primeiro-ministro. O encontro teve início às 9h. Os patrões pediram medidas alternativas ao corte da Taxa Social Única e a CGTP rejeitou “mais cortes nos salários”.

Notícia actualizada às 13h20

Sugerir correcção