Futebol

Vieira diz que o Benfica tem de “vender e baixar a massa salarial”

"O pior que podemos fazer é fingir que nada se passa", afirma Vieira
Foto
"O pior que podemos fazer é fingir que nada se passa", afirma Vieira Foto: Pedro Cunha

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, afirmou nesta sexta-feira que o clube precisa vender e baixar a massa salarial, mesmo que isso signifique a perca de competitividade.

“Quem pensa que pode continuar a viver como até há alguns anos atrás está redondamente enganado, quem persistir nesse erro vai acabar mal. Vender, comprar menos e formar mais. Vender e baixar a massa salarial, mesmo que isso signifique sacrificar a nossa competitividade”, disse, num jantar após a inauguração da nova imagem da Casa do Benfica de Almada.

O presidente do Benfica defendeu que é obrigatório garantir a sustentabilidade do clube, afirmando que se tem de ganhar “com o talento, a entrega e o empenho dos que ficam e confiar na capacidade do treinador”.

Luís Filipe Vieira referiu que não resta outro caminho ao clube que o da “credibilidade e da responsabilidade”, garantindo que quem não o fizer por opção vai ter que o fazer por obrigação.

“Num período de mudança e de incerteza, o pior que podemos fazer é fingir que nada se passa. Temos de aceitar que há limites e que ultrapassar esses limites significa comprometer o nosso futuro”, afirmou.

O presidente do Benfica deixou também uma mensagem irónica aos seus rivais.

“Quero dar os meus parabéns àqueles clubes que apresentando prejuízos milionários em anos consecutivos conseguem resistir a vender jogadores. Seguramente que devem ter encontrado uma fórmula mágica”, disse.

Para o líder “encarnado”, a magia “é pura ilusão” e que quando esses clubes “acordarem pode ser tarde demais”.

“E isso, garanto-vos, não vai acontecer com o Benfica”, acrescentou.

Luís Filipe Vieira defendeu que já tomou a sua opção, que passa por garantir o futuro do Benfica, sem nunca “comprometer a sua continuidade”.