DR
Foto
DR

Contentores de navios e autocarros transformam-se em escritórios

Até ao final do ano, nasce, em Alcântara, o Village Underground Lisboa, um espaço de escritórios, em contentores de navios e autocarros desactivados, para jovens criativos

Contentores de navios e autocarros desactivados vão formar o Village Underground Lisboa, um espaço de escritórios destinado a acolher jovens criativos, que arrancará em Alcântara até ao final do ano, revelou à Lusa uma das responsáveis do projecto.

“É um espaço de escritórios para criativos e espaço multicultural, um projecto que já existe em Londres e estamos a trazer para Lisboa”, disse à Lusa, Mariana Duarte Silva. O projecto, sedeado nos terrenos do Museu da Carris, em Alcântara, será composto por dois autocarros de dois andares e 14 contentores marítimos, colocados em quatro blocos de três andares.

“Teremos 60 lugares disponíveis, que podem ser ocupados por 60 pessoas diferentes ou por pequenas empresas e o objectivo é inaugurar até ao final do ano”, referiu. Mariana Duarte Silva conheceu o Village Underground em Londres. “Trabalhei lá quando vivia em Londres e quando resolvi voltar propus ao meu sócio [mentor do projeto londrino] fazermos o mesmo em Lisboa. Como ele estava em fase de expansão do projecto para outras cidades e gostou de Lisboa, resolveu fazer aqui um Village”, contou.

PÚBLICO -
Foto
Este projecto já existe em Londres, onde trabalham 50 pessoas DR

Tom Foxcroft recorda que o projecto em Lisboa estava a ser pensado “há mais ou menos três anos”, com o estudo de localizações possíveis. “Finalmente conseguimos uma parceria com a Carris e a Câmara Municipal para implementar o projecto, e aqui estamos a tentar disponibilizar espaços a preços acessíveis a jovens criativos em Lisboa”, disse à Lusa.

PÚBLICO -
Foto
Há 60 lugares disponíveis em Lisboa DR

50 pessoas em Londres

Em Londres, no Village Underground, que funciona “há cinco anos”, trabalham “cerca de 50 pessoas”, divididas entre “carruagens de metropolitano recicladas e alguns contentores de navios”. O Village Underground, que conta com a Carris e a Câmara Municipal de Lisboa como parceiros, será apresentado oficialmente na quarta-feira.

A ideia é que os interessados apareçam para “conhecer o espaço, falar com as pessoas envolvidas no projeto e sentir o que vai aqui acontecer”, explicou Mariana Duarte Silva. Para esse dia, a artista plástica e arquiteta Joana Astolfi, responsável pela modificação dos autocarros, está a preparar uma instalação, que funciona como “um ‘teaser’” do Village Underground. Joana está a cobrir um dos autocarros, “que vai ser convertido numa sala de reuniões, um ‘meeting point’ para as pessoas que vão trabalhar nos contentores”, com sapatos. O outro autocarro “vai ser convertido num restaurante, café e bar”.

“Ainda não comecei a pensar em pormenor o projecto, mas vamos praticamente criar uma segunda pele dentro dos autocarros. Queria manter o máximo possível de referências ligadas ao autocarro, como a sinalética e os bancos, disse.

A apresentação do Village Underground Lisboa está marcada para as 18h00 e inclui a actuação da banda portuguesa Brass Wires Orchestra e de DJ representados pela Madame Management.