“Estado da União”

Durão Barroso pede federação de Estados-Nação 18 anos depois de Jacques Delors

Fotogaleria
Barroso falava no Parlamento Europeu Foto: Frederick Florin/AFP
Fotogaleria
“No dia seguinte” às cimeiras, “as mesmas pessoas que aprovaram as decisões” acabam por “miná-las”, diz Barroso Foto: Frederick Florin/AFP

Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, defendeu esta quarta-feira que a União Europeia (UE) deverá avançar para uma "federação de Estados Nações" com novas transferências de soberania dos países membros para ultrapassar a actual crise política, económica e de confiança e competir no mundo globalizado.

"Não tenhamos medo das palavras: precisamos de avançar para uma federação de Estados Nações", afirmou Barroso no seu terceiro discurso perante o Parlamento Europeu sobre o "Estado da União", retomando a célebre expressão inventada pelo seu antecessor, Jacques Delors, em 1994.

Para o presidente da Comissão, esta federação de Estados Nações deverá ser o "horizonte político" que deverá orientar a União Europeia (UE) nos próximos anos nomeadamente para evitar que "nesta época de ansiedade", o debate político seja ocupado pelas forças nacionalistas e populistas.

Os Estados membros enganam-se se pensam que podem resolver os grandes problemas europeus com soluções nacionais ou com soluções do passado, avisou, insistindo: "precisamos de uma verdadeira união económica fundada numa união política".

Barroso lembrou que este novo salto na integração europeia, que deverá incluir a política de defesa, exigirá uma alteração dos Tratados, comprometendo-se a definir nos próximos meses os passos necessários para o alcançar.

Notícia actualizada às 11h45

: despacho da Lusa substituído por notícia própria.