Corte de um salário vai ser permanente para todos

Aumento das contribuições será "de carácter permanente", diz fonte do Governo
Foto
Aumento das contribuições será "de carácter permanente", diz fonte do Governo Foto: Daniel Rocha

O primeiro-ministro justificou sexta-feira as novas medidas de austeridade como uma resposta à “situação excepcional” de “emergência financeira nacional”, mas tal não significa que sejam provisórias. O Governo assume que o corte de um salário por ano tanto ao sector público e ao privado - pelo aumento das contribuições para a Segurança Social (SS) - tem carácter permanente. E, a haver reposição salarial, começará pela função pública.

Fonte oficial do gabinete do primeiro-ministro admitiu ao PÚBLICO que a medida de aumento das contribuições para a Segurança Social foi tomada como sendo de “carácter permanente”.”É um instrumento de gestão das finanças públicas e de política económica, o que significa que pode vir a ser alterado no futuro”, salvaguardou.

Passos Coelho anunciou na sexta-feira novas medidas de austeridade para compensar o “chumbo” do Tribunal Constitucional ao corte dos subsídios de férias e de Natal dos funcionários públicos e pensionistas e, ao mesmo tempo, reduzir os custos das empresas, de modo a estimular o emprego.

Leia mais no PÚBLICO deste domingo ou na edição online exclusiva para assinantes