Crónica de jogo

James entrou para fazer a diferença no triunfo portista no Algarve

Foto
Foto: Fernando Veludo/NFactos

O FC Porto esteve a perder com o Olhanense e as coisas só mudaram depois de Vítor Pereira retirar o colombiano do banco ainda na primeira parte. O n.º 10 marcou e assistiu no êxito tangencial do campeão.

O FC Porto esteve a perder com o Olhanense, mas James Rodríguez saiu do banco para resgatar o campeão nacional, que conseguiu uma vitória difícil (2-3) como visitante. Depois de Abdi ter inaugurado o marcador no Estádio Algarve, o colombiano empatou ainda na primeira parte e fez uma grande assistência que o compatriota Jackson Martínez não desperdiçou. Hulk dilatou depois a vantagem portista antes de Tiago Targino reduzir perto do fim.

Vítor Pereira reconheceu que foi um jogo difícil, mas poderia ter sido diferente se Lucho, logo aos 3’ – e depois de uma boa combinação entre João Moutinho e Hulk, dois jogadores sobre os quais se especulou muito no fecho do mercado –, tivesse sido eficaz frente a Ricardo. O seguinte momento de perigo aconteceu na outra área e deu golo. Alex Sandro perdeu a bola no meio-campo do Olhanense e a equipa da casa fez um rápido contra-ataque que terminou com a bola dentro da baliza de Helton, quando Abdi, jogador que nasceu na Somália, rematou colocado.

Com Hulk a escorregar várias vezes, as acções eficazes de Fernando Alexandre e Jander no meio-campo do Olhanense e o tempo de corte de Maurício, o FC Porto passou a errar muito. Tentou empatar, mas fê-lo de forma lenta e, apesar dos sinais de Jackson Martínez e de Hulk, só voltou a ter “cabeça” quando Pereira trocou Atsu por James, ainda antes do intervalo. Logo dois minutos depois de entrar, o esquerdino isolou Moutinho, o médio português não rematou bem.

Mas a influência do internacional da Colômbia notou-se rapidamente no resultado: aos 43’, Ricardo saiu a soco, afastou a bola para a entrada da área e James aproveitou o adiantamento do guarda-redes para fazer o empate num grande remate.

O n.º 10 não deixou a inspiração no balneário e, nos primeiros minutos da segunda parte, fez um grande passe que deixou Martínez só perante Ricardo. Ao contrário de Moutinho, o avançado foi eficaz e colocou o FC Porto definitivamente na frente.

Os “dragões” passaram a dominar mais intensamente e alargaram o resultado quando Hulk fez o seu segundo golo no campeonato, mas ainda tiveram de passar por alguns momentos de aflição nos minutos finais, depois de Tiago Targino, assistido por Rui Duarte, bater Helton.

Com a segunda vitória na Liga, o FC Porto chegou aos sete pontos, mais três do que o Olhanense.