Lisboa regressa de férias com túnel do Marquês condicionado

Foto
Túnel deverá ficar encerrado durante duas semanas Daniel Rocha

“O túnel vai estar fechado até segunda-feira e depois em função do andamento dos trabalhos, tomaremos a decisão de abrir pelo menos parcialmente. Vamos reabrir a saída do túnel para a Avenida Fontes Pereira de Melo e para a Avenida António Augusto de Aguiar”, disse ao PÚBLICO o vereador da Mobilidade, Fernando Nunes da Silva. A saída do túnel para a rotunda "vai demorar mais alguns dias", acrescentou.

Durante o fim-de-semana, vai ser deslocado um cabo da EDP que está a impedir a continuação dos trabalhos. Este é o segundo "imprevisto" no decurso das obras de alteração da circulação na rotunda. "Já tivemos de desviar um cabo de banda larga da PT que estava próximo do Instituto Camões, e essa é a razão pela qual as obras não estão ainda concluídas", acrescentou Nunes da Silva.

As obras arrancaram no final de Julho e deveriam estar prontas no início de Setembro. Têm como objectivo criar duas rotundas concêntricas no Marquês de Pombal para alterar a circulação automóvel.

A Polícia Municipal de Lisboa tinha avançado ao PÚBLICO que o túnel, encerrado na madrugada desta sexta-feira, assim deveria continuar durante cerca de duas semanas, até ao dia 16 de Setembro. Contudo, de acordo com o vereador da Mobilidade, a reabertura vai ser gradual e aquela data corresponde ao dia em que deverão estar concluídas todas as alterações na rotunda e na Avenida da Liberdade, e em que vai começar a ser testado o novo modelo de circulação na zona.

O trânsito estava, nesta manhã, a ser desviado para as Amoreiras e a rua Joaquim António de Aguiar. "É bom que as pessoas aproveitem estas situações para testarem caminhos alternativos aos que habitualmente utilizam", avisa o vereador da Mobilidade.

Desde segunda-feira que está a ser mais difícil circular na zona do Marquês de Pombal, já que, devido às obras de alteração na circulação na rotunda, a artéria lateral nascente, entre a Avenida Fontes Pereira de Melo e a Avenida Duque de Loulé, está encerrada durante três semanas. No início de Agosto também tinha sido cortado, por três semanas, o trânsito na lateral poente da Avenida da Liberdade, entre a Rua Alexandre Herculano e o Marquês de Pombal.

As obras pretendem criar uma rotunda para os eixos principais e outra para as vias laterais, que será canalizada para o transporte público. A ideia, quando terminarem todas as obras, é que os condutores passem a utilizar na rotunda três vias e não cinco como acontece agora para aceder às zonas mais movimentadas (Joaquim António de Aguiar, Fontes Pereira de Melo e Liberdade). Para aceder à Rua Braancamp e Avenida Duque de Loulé será criada uma rotunda exterior. Entre as duas rotundas vai ser criado um jardim e um passeio. A obra deverá custar cerca de meio milhão de euros.

Por seu lado, a Avenida da Liberdade vai ter na sua quase totalidade apenas duas faixas de rodagem em cada sentido e as laterais vão ser progressivamente exclusivas para peões. As alterações serão feitas com recurso a suportes físicos e a pinturas na faixa de rodagem. Esta é uma tentativa de a câmara tirar carros daquela zona da cidade e reduzir também a poluição.

As medidas estiveram em consulta pública e receberam o contributo de moradores e comerciantes para “encontrar a melhor situação”, indicou no final de Julho o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa.

Com os condicionamentos, o terminal da carreira 702 ficará localizado na Avenida Joaquim António de Aguiar e o terminal da carreira 732 ficará localizado no topo norte da Praça do Marquês de Pombal. A praça de táxis ficará localizada no troço da Praça Marquês de Pombal, frente ao Hotel Fénix.

Notícia actualizada às 10h20: acrescenta informações prestadas pelo vereador da Mobilidade

Sugerir correcção
Comentar