Portugueses receberam o prémio em Veneza, one há uma exposição com os trabalhos que tinham concorrido Michela Del Forno
Foto
Portugueses receberam o prémio em Veneza, one há uma exposição com os trabalhos que tinham concorrido Michela Del Forno

Ateliermob vence prémio Future Cities na Bienal de Veneza

Caso de estudo do bairro PRODAC, em Lisboa, foi um dos três distinguidos. Prémio reconhece trabalho dos moradores, que construíram o bairro há 40 anos, e pode ajudar a conseguir financiamento para a zona sul

Os arquitectos do Ateliermob viajaram até Veneza com o discurso firme e o projecto “Working with the 99%” debaixo do braço, como prova da teoria que defendem: a arquitectura deve reposicionar-se como “resposta urgente ao discurso que transmite a ideia de um país adiado e sem futuro”. Na segunda-feira, dia 27, o prémio Future Cities - Planning for the 90 per cent confirmou o valor do projecto, galardoando o atelier português como uns dos três vencedores, entre os dez finalistas já conhecidos.

O projecto Working with the 99%, que apresenta um caso de estudo do Bairro PRODAC, em Lisboa, cujo objectivo é “legalizar e detectar situações de risco” no espaço, construído pelos próprios moradores na década de 70. “Este prémio significa, em primeiro lugar, o reconhecimento do trabalho de pessoas que lutaram 40 anos para manterem o bairro”, disse ao P3 Tiago Mota Saraiva, um dos arquitectos do Ateliermob.

O prémio dado ao projecto português é também “especialmente importante” por distinguir um “processo comunitário”, onde os sete arquitectos do atelier lisboeta trabalham directamente com a associação de moradores e a Câmara Municipal de Lisboa.

PÚBLICO -
Foto
Bairro PRODAC, em Lisboa, foi construído pelos moradores na década de 70

Trabalho com a comunidade

O bairro do PRODAC aloja cerca de 600 famílias, que há muito tempo reclamam a propriedade das suas casas e têm mostrado bastante interesse em envolver-se no projecto, que terá um preço quase simbólico para elas. Até Fevereiro, o Ateliermob vai entregar na autarquia o diagnóstico da zona norte do bairro, que conseguiu financiamento do programa BIP-ZIP.

Quanto à zona sul, ainda sem financiamento, Tiago Mota Saraiva mostra-se agora mais optimista: “Isto dá-nos mais esperança de o projecto avance na integra.”

O prémio Future Cities - Planning for the 90 per cent distinguiu também os projectos Cantinho do Céu Complex, no Brasil, e FIL ROUGE_ urban project, de Itália.

Até ao dia 1 de Setembro, está em Veneza, como evento paralelo da XIII Bienal, uma exposição sobre o prémio, que contou com mais de 100 participações de vários países.