Futebol

O ataque do Sporting deu, finalmente, o "clique" que Sá Pinto pedia

Van Wolfswinkel marcou dois golos contra o Horsens
Foto
Van Wolfswinkel marcou dois golos contra o Horsens Foto: Hugo Correia/Reuters

O Horsens partiu nesta quinta-feira para a Dinamarca, mas ficou no coração dos sportinguistas. É que, dificilmente, os “leões” poderiam ter um adversário que se adaptasse tão bem às suas necessidades imediatas. Ou seja, golos, muitos golos. Depois de tanto desperdício nos três primeiros encontros da temporada (nomeadamente no jogo da primeira mão deste play-off), a equipa de Sá Pinto deu o “clique” que o técnico pedia, goleou os nórdicos, por 5-0, e estará hoje no sorteio da fase de grupos da Liga Europa.

A estreia de Pranjic no lado canhoto da defesa foi a surpresa do treinador português para o encontro. No banco ficou Insúa, que não esteve bem na Dinamarca, acabando por ficar ligado ao golo de Spelmann. A outra novidade do técnico foi táctica e lógica. Inverteu o triângulo do meio-campo, deixando sozinho Gelson Fernandes no seu vértice mais recuado, e aproximando Elias do ataque, perto de Adrien. De resto, tudo igual à partida de segunda-feira, frente ao Rio Ave, neste mesmo palco, que ditou a primeira derrota da temporada aos “leões” (0-1).

Sem carregar demasiado no acelerador, os lisboetas assumiram o controlo do encontro e o golo madrugador trouxe mais tranquilidade à equipa. Quatro minutos antes, Elias já havia desperdiçado uma oportunidade soberana, após uma grande jogada de Carrillo.

As facilidades concedidas pelo Horsens sugeriam a hipótese de goleada mas, estranhamente, o Sporting baixou o ritmo, pouco depois do primeiro golo. Nada que impedisse mais festejos em Alvalade. Se o ataque da casa não encontrava a baliza, a defesa dinamarquesa não falharia um alvo tão grande. Aos 23’, Kortegaard desviou para as suas redes, um cruzamento de Pranjic para Carrillo.

O lance Hipotecou qualquer hipótese de prolongamento e colocava praticamente o Sporting com os dois pés na Liga Europa. Até porque o Horsens parecia principalmente preocupado em não sair de Lisboa goleado. Sem argumentos atacantes, os nórdicos procuravam lances de bola parada para chegar à área. Uma estratégia simples, mas que esteve até perto de surtir efeito aos 20’, quando, na sequência de um canto, Rasmussen cabeceou ligeiramente por cima. Se tivesse resultado seria o empate.

Se Wolfswinkel demorou oito minutos para inaugurar o marcador, precisou de apenas mais um para abrir a contagem na segunda metade. Um canto de Capel encontrou o pé direito do holandês na área, que fez o 3-0.

Já num clima de festa, diametralmente oposto ao que se viveu há apenas três dias, Carrillo levou toda a gente à euforia, com um golaço à entrada da área, aos 57’.

Nesta altura, as acelerações do Sporting deixavam desorientados os já desmoralizados nórdicos, que pressionados ainda ofereceram o quinto a Elias. Uma goleada justa (e até escassa, face às oportunidades), que deixa respirar Sá Pinto, pelo menos nas próximas duas semanas, até ao jogo com o Marítimo, para a Liga, na Madeira. Um adversário bem diferente deste Horsens.

POSITIVO

Wolfswinkel e Gelson


O holandês estreou-se a marcar na temporada 2012-2013 e logo com dois golos. Apesar das críticas, Wolfswinkel nunca se escondeu e mostrou vontade de marcar golos e disponibilidade para pressionar o adversário. O suíço mostrou a Sá Pinto que a opção de inverter o triângulo do meio-campo pode ser o caminho a seguir. Gelson actuou de uma forma agressiva e muito competente nas compensações aos seus colegas, permitindo mais liberdade a Adrien e Elias.


NEGATIVO

Horsens e Rojo


Os dinamarqueses são, de facto, uma equipa muito fraca. Os jogadores do Horsens raramente fizeram três passes seguidos e permitiram ao Sporting um estilo de jogo, que mais parecia de pré-época. Do lado do Sporting, o argentino Rojo foi o elo mais fraco, pouco agressivo a defender e desacertado na finalização.


Ficha de Jogo

Sporting, 5


Horsens, 0


Estádio José Alvalade, em Lisboa
Espectadores 25.030


Sporting

Rui Patrício, Cédric, Boulahrouz, Rojo, Pranjic, Gelson Fernandes (Daniel Carriço, 73’), Elias, Carrillo (André Martins, 65’), Adrien (Jeffren, 66’), Capel e Wolfswinkel. Treinador Sá Pinto.


Horsens

Ronnow, Juel Andersen, Rasmusen, Aslam, Kortegaard, Drachmann, Retov (Nohr, 70’), Kielstrup a54’, Klove, Spelmann (K. Hajdarevic, 62’) e Fagerberg (Bjerregaard, 46’). Treinador Johnny Molby.


Árbitro

Cyril Zimmermann, da Suíça.

Amarelos

Klelstrup (52').

Notícia actualizada às 23h06
Sugerir correcção