Futebol

A primeira vez do Rio Ave em Alvalade e a crise madrugadora dos “leões”

Edimar marcou o golo que deu a vitória ao Rio Ave
Foto
Edimar marcou o golo que deu a vitória ao Rio Ave Foto: Rafael Marchante/Reuters

Na quinta-feira passada, o modesto Horsens, da Dinamarca, festejou o seu maior feito na UEFA, ao garantir um empate no jogo da primeira mão do play-off de acesso à Liga Europa, frente a um dos semifinalistas desta competição na temporada passada. Na noite desta segunda-feira, o Rio Ave fez história ao alcançar a primeira vitória no Estádio de Alvalade frente ao Sporting. Envergonhado pelo resultado (0-1), Sá Pinto deixou os jogadores em campo para receberem os assobios das bancadas.

Três jogos oficiais, dois empates e uma derrota, dois golos sofridos e um marcado. Este é o magro pecúlio dos “leões” versão 2012-13. E só se podem queixar de si próprios, permissivos defensivamente e quase nulos na finalização. A posse de bola pode ser esmagadora, mas não marca, por si só, golos. Wolfswinkel (completou o 50.º jogo com a camisola leonina) também parece não se dar bem com a pressão e voltou a ser o alvo principal da fúria dos adeptos.

A história do primeiro tempo começou precisamente a ser contada pelo ponta-de-lança holandês, aos 33’. Uma perda de bola do atacante transformou um promissor lance ofensivo num contra-ataque venenoso dos vila-condenses que acabou por ter apenas efeitos estatísticos e morais. Foi o primeiro remate à baliza dos nortenhos e Rui Patrício travou o disparo de Esmael.

Era o que faltava aos visitantes para se soltarem do cordão sufocante imposto pelo Sporting durante mais de meia hora. Sem grandes consequências práticas no marcador, mas suficiente para anular qualquer ambição atacante do Rio Ave. Tudo mudou aos 33’, quando a defesa de Alvalade deixou transparecer algumas fragilidades já identificadas na Dinamarca, na última quinta-feira.

Sete minutos depois, a equipa orientada por Nuno Espírito Santo chegaria à vantagem, num lance construído e finalizado por Edimar. Perante a cerimónia do adversário, o defesa esquerdo galgou terreno com a bola ainda antes do meio-campo, tocou-a para a esquerda para Del Valle, antes de a receber à entrada da área, sem marcação, e rematar para o fundo das redes.

Os “leões” viam-se a perder frente a uma equipa que não marcava um golo em Alvalade há quase nove anos (desde 2003-04). Até aí, criaram algumas oportunidades, é certo, mas também abusaram dos passes laterais e atrasados, que facilitaram muito a vida à defesa visitante.

Sá Pinto chamou Labyad (para o lugar de Adrien) e André Martins (Elias) para a segunda metade (Viola estreou-se aos 72’), mas os “leões” continuaram só a cheirar muito pontualmente o golo. Com a estreia de Viola, o técnico povoou o ataque com quatro elementos, mas o melhor que conseguiu foi um cruzamento de Cédric a que Wolfswinkel não conseguiu dar seguimento.

Entre os ataques (cada vez mais emotivos) do Sporting, o Rio Ave nunca deixou de ser uma ameaça, com Braga (59’) e Nivaldo (68’) a falharem boas oportunidades. Resta, agora, aos lisboetas minimizarem os estragos deste arranque de época desastroso, eliminando na quinta-feira o Horsens e alcançando a fase de gupos da Liga Europa.


POSITIVO e NEGATIVO

+


Nuno Espírito Santo
Com apenas dois jogos oficiais realizados, já fez história no Rio Ave, que nunca tinha conseguido vencer os “leões” em Lisboa. Um feito notável no seu ano de estreia como treinador principal.

Del Valle
Teve visão e frieza na jogada do golo vila-condense, acabando por ser também fundamental no brilharete de Edimar.

-


Sporting 2012-13
Depois das últimas temporadas desastrosas exigia-se um arranque convincente da equipa de Alvalade nesta nova temporada. Nada disso. Dois empates e uma derrota frente a equipas perfeitamente ao seu alcance não auguram nada de bom. E, pior que tudo, regista apenas um golo em três encontros. A primeira crise desportiva da época começa cedo e só pode ser minimizada com a garantia do acesso à Liga Europa na próxima quinta-feira.
Ficha de jogoSporting, 0
Rio Ave, 1

Jogo no Estádio José Alvalade, em Lisboa. Assistência 30.991 espectadores.

Sporting

Rui Patrício, Cédric Soares, Boulahrouz, Rojo, Insúa, Gelson Fernandes (Viola, 72’), Elias (André Martins, 46’), Adrien Silva (Labyad, 46’), Diego Capel, Carrillo e Wolfswinkel.

Treinador

Ricardo Sá Pinto.

Rio Ave

Oblak, Lionn, Marcelo, Nivaldo, Edimar, Tarantini, Wires, Filipe Souza, Braga (Vítor Gomes, 68’), Del Valle (João Tomás, 86’) e Esmael (Vilas Boas, 74’).

Treinador

Nuno Espírito Santo.

Árbitro

Marco Ferreira (Madeira).

Amarelos

Filipe Souza (55’), Gelson Fernandes (69’), Cédric (74’), Lionn (76’), Rojo (76’) e Carrillo (80’).

Golo

0-1, por Edimar, aos 40’.

Notícia actualizada às 23h02
Sugerir correcção