Futebol internacional

O campeão Man. City já mete medo na sempre equilibrada Premier League

Manchester City venceu o campeonato 44 anos depois
Foto
Manchester City venceu o campeonato 44 anos depois Foto: Ian Kington/AFP

O Arsenal entra neste sábado em campo, na primeira jornada da Premier League, com uma equipa ligeiramente diferente da que terminou a época passada no terceiro lugar do campeonato. E, sobretudo, com um novo capitão de equipa, porque Robin van Persie foi transferido para o Manchester United. O internacional holandês de 29 anos, que chegou ao Arsenal em 2004, mudou-se para Old Trafford num negócio que, de acordo com a imprensa britânica, custou 24 milhões de libras (30 milhões de euros) à equipa orientada por Alex Ferguson.

Van Persie (132 golos em 278 partidas pelo Arsenal) é o primeiro futebolista contratado pelo Manchester United aos gunners em 25 anos. A última transferência neste sentido entre os dois clubes tinha acontecido em 1987, envolvendo Viv Anderson. Mas os negócios entre clubes de topo na Premier League são mais comuns do que se possa pensar. Basta olhar para o exemplo recente que levou Fernando Torres do Liverpool para o Chelsea - na sequência desse negócio, os reds foram contratar Andy Carroll ao Newcastle por um valor recorde de 35 milhões de libras (44,5 milhões de euros).

Esta realidade pode compreender-se em função do equilíbrio que existe no campeonato inglês. O dinheiro que circula ajuda a amenizar o fosso entre as equipas, tal como a forma como são distribuídas as receitas das transmissões televisivas. A título de exemplo, na última temporada, o campeão Manchester City encaixou 60,6 milhões de libras (77,2 milhões de euros), enquanto o último classificado, o Wolverhampton, recebeu 39 milhões de libras (49,8 milhões de euros). Estes valores são compostos por uma parte fixa, igual para os 20 clubes, e duas variáveis: um prémio para o desempenho desportivo na época anterior, e uma quantia em função do número de jogos transmitidos na televisão. A diferença entre primeiro e último acaba por ser pouco superior a 27 milhões de euros, um valor sem paralelo, em termos proporcionais, nos principais campeonatos europeus.

Em termos meramente desportivos, este será o ano em que o Manchester City entra a defender o título arrebatado ao rival United nos instantes finais da temporada 2011-12. Pela primeira vez em 44 anos, os citizens são o alvo a abater - e não o alvo da chacota, como até aqui. A equipa de Roberto Mancini continua a ser praticamente a mesma e já acrescentou mais um troféu ao palmarés: bateu o Chelsea por 3-2, conquistando a quarta Supertaça da história do City.

Êxodo de capitães

Já o Arsenal tem visto o seu plantel sofrer constantes mudanças. Van Persie é o sexto capitão que os gunners perdem nas últimas sete temporadas. Na época passada foi Cesc Fàbregas que trocou os londrinos pelo Barcelona. Em 2010, Arsène Wenger despediu-se de William Gallas (foi para o Tottenham), e no ano anterior os adeptos tinham visto partir Kolo Touré (rumo ao Manchester City). Thierry Henry (Barcelona em 2007) e Patrick Vieira (Juventus em 2005) completam o lote de futebolistas que usaram a braçadeira de capitão do Arsenal e foram transferidos em anos recentes.

A estes juntam-se outras baixas importantes como as de Nasri, Clichy, Adebayor, por exemplo. Alex Song, cobiçado pelo Barcelona, pode ser o próximo. Um êxodo explicado, em certa parte, pelo jejum de troféus dos londrinos: desde 2005, quando venceu a Taça de Inglaterra, que a equipa de Wenger não celebra qualquer conquista. Mas também pela gestão racional e pragmática dos gunners, que não entram em loucuras e vendem para manter o equilíbrio nas contas.

"Lamentamos a perda de um grande jogador, por uma simples razão - só tinha mais um ano de contrato. Ele queria sair", disse Wenger sobre a venda do holandês. "Não é o que queríamos, mas não tivemos opção. Só havia um clube realmente interessado no Robin van Persie, capaz de chegar aos valores que definimos como aceitáveis. Esse clube foi o Manchester United. No final de contas, esta foi a única decisão que podíamos tomar", acrescentou o técnico francês, confessando porém que preferia ter vendido Van Persie para outro país.

Quem vai ser campeão? Talvez seja mais fácil acertar em qual o próximo jogador a deixar o Arsenal. O hábito diz que será o capitão de equipa. O belga Thomas Vermaelen é o escolhido para envergar a braçadeira, e o espanhol Mikel Arteta é o vice-capitão. Aceitam-se apostas.

Sugerir correcção