Benfica

Luís Filipe Vieira: “Vergonha é ser condenado por corrupção desportiva”

Vieira disse que aqueles que falaram de vergonha deviam fazer “um pequeno exercício de memória"
Foto
Vieira disse que aqueles que falaram de vergonha deviam fazer “um pequeno exercício de memória"

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, recusou hoje comentar a abertura de um processo disciplinar ao futebolista Luisão, que defendeu, embora dizendo que preferia que o incidente com o árbitro alemão não tivesse acontecido.

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) abriu um processo disciplinar a Luisão, após o choque com o árbitro do jogo particular frente ao Fortuna Dusseldorf.

Num jantar com benfiquistas, na Batalha, Luís Filipe Vieira escusou-se a comentar a decisão, mas garantiu que o clube saberá “respeitar as decisões”, mas também saberá defender os seus jogadores.

“Permitam-me que a minha primeira palavra seja para uma pessoa que não está presente: o nosso capitão Luisão”, começou por dizer Luís Filipe Vieira, realçando a importância que sempre deu à “credibilidade” e “imagem” do clube.

O dirigente garantiu que “não vai tolerar” a “cruzada cobarde” contra Luisão, criticando “quem se aproveite para atirar pedras, esquecendo tudo o que fizeram no passado”.

Admitindo que preferia que o episódio da Alemanha “não tivesse acontecido”, Luís Filipe Vieira afirmou ser “mesquinho” e “totalmente inaceitável” pôr em causa a “boa fé, o carácter e a palavra” de Luisão.

O dirigente benfiquista lançou ainda críticas, aparentemente dirigidas ao presidente do FC Porto, Pinto da Costa, acusando-o de “não ter memória”.

O dirigente benfiquista disse que aqueles que falaram de vergonha deviam fazer “um pequeno exercício de memória: vergonha é ser condenado por corrupção desportiva, foi saber-se que houve quem corrompesse árbitros com prostitutas e outros esquemas” e “recordar a imagem de árbitros como José Pratas, e outros, a fugirem de jogadores e adeptos”.

Sem se deter, Luís Filipe Vieira, acrescentou que “vergonha é agredir jornalistas por terem opinião, intimidar pessoas do próprio clube, apenas porque pensam de forma diferente” ou “ameaçar ou agredir jogadores apenas porque estes não querem renovar ou ser emprestados”.

Após estas palavras, o presidente “encarnado” pediu a “todos os benfiquistas o maior apoio a Luisão” e a “toda a equipa” a partir de sábado, dia em que abrem a I Liga, frente ao Sporting de Braga.

“A época que agora começa é responsabilidade dos que jogam, dos que estão nas bancadas, dos que dirigem, dos sócios, dos adeptos... de todos”, disse

Luís Filipe Vieira acrescentou que, “um Benfica forte, obriga a ser firme, a não desviar um milímetro do caminho traçado” e a “não ceder a nenhuma provocação”, garantindo que será essa a sua posição.

O presidente do Benfica deslocou-se hoje à Batalha para inaugurar oficialmente a Casa do Benfica da vila, que abriu portas em Outubro de 2011. Estão agendadas inaugurações nas Casas do Benfica de Serpa (1 de Setembro), Vila Real de Santo António (07 de Setembro) e Lagos (8 de Setembro).

Sugerir correcção