Português identificou o exemplar capturado

Peixe abissal muito raro encontrado entre a Madeira e o Algarve

Ilustração científica de um exemplar de Cetichthys indagator
Foto
Ilustração científica de um exemplar de Cetichthys indagator DR

Um raro peixe abissal, que vive a mais de 1000 metros de profundidade, foi encontrado pela primeira vez no Atlântico Norte, entre a ilha da Madeira e o Algarve, revela um artigo publicado na revista Journal of Fish Biology.

Este peixe, da espécie Cetichthys indagator, tem 15 centímetros de comprimento e é castanho, com barbatanas cor de laranja e uma boca que lembra a das baleias. Foi capturado a 24 de Novembro de 2010, entre os 1000 e 4400 metros de profundidade e a 370 quilómetros a Nordeste do arquipélago da Madeira, pelas redes do R/V Meteor M83/2, navio utilizado numa expedição da Universidade de Hamburgo.

O animal - da família Cetomimidae - foi identificado por Rui Pedro Vieira, então estudante de mestrado no Centro de Ciências do Mar (CCMAR) da Universidade do Algarve e que participou nas cinco semanas de expedição, liderada pelo investigador Bernd Christiansen, da Universidade de Hamburgo. A missão teve como objectivo o estudo do monte submarino de Ampère, entre o Algarve e o arquipélago da Madeira.

“Este peixe é raríssimo. Parece que se encontra em todos os oceanos, mas este é o primeiro registo em todo o Atlântico Norte e apenas o quinto exemplar de que há registos”, sublinhou ao PÚBLICO Rui Pedro Vieira, 25 anos, autor principal do estudo publicado recentemente na revista Journal of Fish Biology e hoje bolseiro de investigação do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar (CESAM) da Universidade de Aveiro.

“Fizemos arrastos na coluna de água e no fundo do oceano e este peixe veio na rede, misturado com muitas outras espécies”, acrescentou Rui Pedro Vieira, que, confessa, tem um interesse pessoal por estes peixes abissais. “Chamou-me a atenção este peixe, com barbatanas cor de laranja. Identifiquei-o a bordo [do navio] e já no Museu de Zoologia da Universidade de Hamburgo confirmámos a sua identidade”, disse ainda.

Estes peixes de profundidade, sem interesse comercial, são esquecidos e pouco conhecidos, acrescentou o biólogo. Até ao momento, há dados referentes a dois exemplares do Cetichthys indagator apanhados ao largo da África do Sul. Foram os primeiros desta espécie a ser descobertos, numa expedição de 1950 a 1952. Outro exemplar foi encontrado entre a Austrália e a Nova Zelândia e outro ainda perto do Japão. O peixe encontrado ao largo de Portugal está agora no Museu de Zoologia de Hamburgo.