Viana Anti Touradas
Foto
Viana Anti Touradas

Viana: oposição à tourada de domingo tem apoio internacional

Mais de meio milhar de mensagens de apoio de vários países chegaram à autarquia de Viana do Castelo desde segunda-feira. Dirigente da Prótoiro vai apresentar queixa por ameaças físicas

A Câmara de Viana do Castelo recebeu, desde segunda-feira, mais de meio milhar de mensagens de apoio, de vários países, à oposição que está a fazer à realização de uma corrida de touros na cidade. Segundo avançou esta terça-feira à agência Lusa fonte da autarquia, estas mensagens estão a chegar sobretudo por correio electrónico e, além de Portugal, são provenientes também de Espanha — inclusive da região da Catalunha —, México, Argentina, Costa Rica, Peru, Colômbia e Brasil.

A mesma fonte sublinhou mensagens de apoio recebidas do Movimento Internacional Antitouradas e da direcção da Fundação Franz Weber, alemã e uma das mais activas na defesa dos direitos dos animais. Em causa está a realização, neste domingo, de uma corrida de touros em Viana do Castelo, município que em 2009 adquiriu a Praça de Touros da cidade e que aprovou, no Executivo, uma declaração assumindo-se como “antitouradas” e em defesa dos direitos dos animais.

A organização pertence à Prótoiro, federação que reúne as várias associações do sector tauromáquico em Portugal e que anunciou pretender “acabar com o regime de censura cultural” que diz existir no concelho há mais de três anos. Um dos elementos da comissão executiva da organização anunciou também esta terça-feira que vai participar às autoridades policiais ameaças à integridade física que afirma ter recebido nas últimas horas.

As ameaças "à integridade física e desejando a minha morte estão devidamente documentadas e serão alvo de uma participação policial que já está a ser preparada", garantiu. 

Autarquia garante: não há tourada

Entretanto, a Câmara deduziu esta semana oposição à decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB), que autorizou a instalação da arena, alegando violação do Plano Diretor Municipal (PDM) se isso se concretizar. O presidente da autarquia, José Maria Costa, afirma estar “seguro que não haverá tourada” em Viana do Castelo, apesar da suspensão do indeferimento da autarquia à instalação da arena, pelo TAFB, depois de uma providência cautelar interposta pela “Prótoiro”.

Segundo a oposição deduzida pelo município com regime de urgência, a instalação do recinto no local previsto, uma zona de emparcelamento agrícola junto à costa, configura um “desrespeito pelo ambiente e pelo ordenamento do território” e por isso o pedido foi indeferido a 2 de Agosto.

Os terrenos em causa, na freguesia de Areosa, cidade de Viana do Castelo, estão classificados como Reserva Agrícola Nacional (RAN) e Reserva Ecológica Nacional (REN) e como tal não podem receber qualquer instalação do género, à luz do PDM, aprovado em 2008.

Segundo a direcção da Prótoiro, a decisão do tribunal, de permitir a instalação da arena — o evento em si já está licenciado pela Inspeção-Geral das Atividades Culturais e Sociedade Portuguesa de Autores —, foi tomada “já com conhecimento” dos motivos invocados pelo município para o indeferimento.

Além das questões legais, José Maria Costa mantém a declaração, aprovada em Fevereiro de 2009, apenas com os votos favoráveis do PS, assumindo a cidade “anti-touradas”. “São manobras de diversão. Infelizmente ainda não perceberam que não bem-vindos a Viana do Castelo”, atirou ainda o autarca.